Índios fazem troca de reféns em Aripuanã

Foram liberados 280 funcionários do canteiro de obras da Usina Hiderlétrica Dardanelos; 6 engenheiros e gerentes se ofereceram para ficar presos

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

26 de julho de 2010 | 02h03

SÃO PAULO - Os cerca de 250 índios que mantinham reféns 280 funcionários do canteiro de obras da Usina Hidrelétrica Dardanelos, em Aripuanã (MT), no noroeste mato-grossense, a 1.050 quilômetros de Cuiabá, aceitaram, por volta das 19h30 de domingo, 25, trocar todos os reféns por seis engenheiros e gerentes de setor, que se ofereceram para ficar no lugar dos trabalhadores braçais.

"O clima está tranquilo no local. Inclusive já retiramos as nossas viaturas e voltaremos para a usina por volta das oito horas da manhã desta segunda-feira. Os reféns estão no pátio, onde ficam o alojamento, o refeitório, a farmácia etc ", afirmou o capital Sebastião Taques do Espírito Santo, comandante da Companhia Independente da Polícia Militar de Aripuanã.

Ainda segundo o oficial da PM, está prevista para as 11h30 uma reunião entre os indígenas e uma comissão, formada por representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai) e agentes da Polícia Federal.

O policial afirma que os 10 milhões de reais noticiados pela imprensa como sendo a reivindicação dos indígenas não partiu de nenhum dos que invadiram a hidrelétrica. "Eles (os índios) ao saberem do valor que vem sendo anunciado ficaram um pouco agitados, pois não sabem de onde partiu essa informação. Eles ainda esperam pela reunião desta segunda-feira", completou o capitão.

Pintados para a guerra e armados com flechas e tacapes, os índios, de onze etnias, invadiram, na manhã de domingo, 25, o canteiro de obras e reivindicariam uma compensação financeira pela inundação de áreas indígenas e a interrupção dos projetos de expansão da produção energética por meio de pequenas centrais (PCHs) previstas ao longo do rio Juruena, que corta as reservas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.