Índios libertam funcionários da Funasa em MG

Grupo protesta contra o atendimento na área da saúde em São João das Missões, no norte do Estado

Marcelo Portela - O Estado de S. Paulo, texto atualizado às 18h18

25 Abril 2012 | 16h00

BELO HORIZONTE - Índios da tribo xacriabá em São João das Missões, no norte de Minas, mantiveram quatro funcionários da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) reféns por aproximadamente 16 horas. Segundo a Polícia Militar (PM), as vítimas foram libertadas ilesas após um acordo com a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) do Ministério da Saúde para melhorias no atendimento na região.

Os servidores são ligados ao órgão e foram feitos reféns por volta das 18h de terça-feira, 24, quando chegaram para prestar assistência médica na aldeia do Brejo Mata Fome, uma das maiores da reserva xacriabá, com cerca de 2 mil habitantes. Ainda de acordo com a PM, os índios fizeram os trabalhadores reféns para protestar contra o atendimento de saúde prestado na área.

Para libertar os funcionários, a Sesai se comprometeu a construir, ainda este ano, uma unidade básica de saúde na reserva, um hospital e um centro de odontologia em São João das Missões. Os índios também reivindicam captar água do rio São Francisco, mas ainda deve ser feita uma pesquisa para verificar a viabilidade da ação. A Polícia Federal participou das negociações junto com representantes do Departamento de Atenção à Saúde Indígena (Dasi).

Mais conteúdo sobre:
índio refém Funai Minas Gerais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.