Infidelidade põe Arruda na mira do TRE

Como os mandatos são dos partidos, procurador pede a devolução do cargo de governador, que saiu do DEM

Carol Pires, O Estadao de S.Paulo

13 de março de 2010 | 00h00

VISITA - Flávia Arruda leva almoço para o governador afastado, preso há mais de um mês na sede da PF

Preso na Polícia Federal desde o dia 11 de fevereiro, o governador afastado do DF, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), entrou também na mira da Justiça Eleitoral. A pedido do procurador regional eleitoral, Renato Brill de Góes, Arruda será julgado pelo Tribunal Regional Eleitoral do DF por infidelidade partidária.

Arruda foi o único governador eleito pelo DEM nas últimas eleições e era festejado como possível candidato a vice-presidente na chapa do PSDB. No centro do escândalo político de Brasília, ele foi pressionado pela cúpula do partido a pedir desfiliação da legenda, o que ocorreu em dezembro. A Justiça Eleitoral entende que os mandatos pertencem aos partidos e não aos eleitos. Passados 30 dias da desfiliação, o DEM não pediu o mandato do governador na Justiça e coube ao procurador eleitoral fazê-lo.

A defesa do governador deve argumentar que ele não teve direito de defesa e foi ameaçado de expulsão sem justa causa. A estratégia, assim, é enquadrá-lo na situação de perseguido político, hipótese que a lei entende como exceção à regra da fidelidade partidária.

Antes do julgamento, no entanto, Arruda passará por novos exames de saúde. Na segunda-feira, o governador foi levando ao Hospital Juscelino Kubitschek com queixas de dor e inchaço no tornozelo direito, que operou em novembro. Mas os exames não identificaram alteração no quadro de saúde dele. Na quarta-feira, novo exame feito pelo médico particular de Arruda, Brasil Caiado, identificou arritmia nos batimentos cardíacos do governador. No dia seguinte, ele passou por uma ressonância no tornozelo. Na próxima segunda-feira, mais uma vez Arruda deve deixar a prisão para fazer uma tomografia.

Brasil Caiado afirmou ontem que o quadro de saúde de Arruda está "estável", mas com "profundo abalo psicológico". A ampliação dos exames será necessária, porque, segundo o médico, o governador sofre de diabetes e hipertensão. A defesa do governo estuda pedir ao STJ a transferência dele para prisão domiciliar.

FESTA

Ontem, o governador em exercício Wilson Lima (PR) prometeu fazer uma "festa para o povo" no dia 21 de abril, quando Brasília comemora 50 anos. "Gostaríamos de ter a participação de todos os países aqui representados", disse ele. O governo do DF pretende desembolsar até R$ 10 milhões pelo evento, metade do prometido inicialmente por Arruda. Entre as atrações confirmadas estão os grupos NX Zero e Os Paralamas do Sucesso e a dupla Bruno & Marrone.

Para o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Distrito Federal, Clayton Machado, o setor não tem expectativa nenhuma de incremento nos negócios com a data comemorativa. "Não existe telefonema de gente pedindo reserva nos hotéis, não tem ninguém comprando passagem", lamentou. COLABOROU RAFAEL MORAES MOURA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.