Infoglobo lamenta a morte do funcionário atingido por PMs

Luiz Carlos Soares da Costa trabalhava na empresa havia 13 anos e foi morto após ser feito refém no Rio

Talita Figueiredo, O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2008 | 18h31

A Infoglobo - empresa das Organizações Globo que tem como produtos os jornais O Globo, Extra, Diário de São Paulo e Expresso, além do site Globo Online e da Agência O Globo - divulgou nota nesta terça-feira, 15, em que lamentou a morte do administrador de empresas Luiz Carlos Soares da Costa, funcionário do grupo havia 13 anos, expressou solidariedade aos familiares e amigos e informou que "todos na empresa estão sensibilizados e lamentam pelo ocorrido".   Veja também: PM do Rio defende policias de ação que matou administrador   Leia a íntegra da nota:   É com grande tristeza que a Infoglobo comunica o trágico falecimento do funcionário Luiz Carlos Soares da Costa, ocorrido na noite de ontem, por volta das 21 horas. Luiz Carlos ingressou na empresa em 1995 e, atualmente, ocupava o cargo de analista da área de Suprimentos, trabalhando no Parque Gráfico, em Duque de Caxias.   Durante os 13 anos em que trabalhou na Infoglobo, Luiz sempre foi um funcionário dedicado e querido pelos colegas. Neste momento doloroso, a Infoglobo expressa solidariedade aos familiares e amigos. Todos na empresa estão sensibilizados e lamentam pelo ocorrido.

Tudo o que sabemos sobre:
violência policialRio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.