Informe-se sobre atrasos de vôos e direitos do passageiro

Os atrasos de vôos ocorridos entre os dias 27 de outubro e 2 de novembro voltaram a ocorrer desde domingo, 12. Para evitar transtornos, quem está com vôos marcados pode conferir se haverá atraso acessando o site da Infraero e das companhias ou obtendo informações por telefone.Infraero: Veja o site da InfraeroNo link Vôos On-line, o passageiro pode obter informações de horários previstos de vôos em aeroportos de todo o País e no link Aeroportos, pode obter os telefones dos postos da Infraero.TAM: (11) 4002-5700 Veja o site da TAM GOL: 08002800465 Veja o site da GOL Pantanal Linhas Aéreas: 0800 6025888 Veja o site da PANTANALBRA: (11) 6445-4310 Veja o site da BRA United Airlines: 11 3145-4200 e 0800 16 2323 Veja o site da United AirlinesBritish Airways: (11) 4004-4440 Veja o site da British AirwaysLufthansa: 0800-115303 Veja o site da LufthansaTrip: 0300-7898747 Veja o site da TripOcean Air: 0300 7898 160 e 4004 4040 Veja o site da Ocean AirDireitos do passageiroQuem sofreu prejuízo por causa dos atrasos das companhias aéreas pode entrar com um processo por danos morais e/ou materiais contra a companhia aérea. O passageiro pode também desistir da viagem. Nesse caso, a companhia deve restituir o valor da passagem. Em caso de cancelamento de vôo, o bilhete pode ser endossado, ou seja, o passageiro deve exigir que a companhia o acomode em um vôo de outra companhia. Para entrar com qualquer tipo de ação, porém, o passageiro deve guardar todos os documentos - como por exemplo, cartão de embarque, comprovantes de hotel, alimentação e transporte - que possam comprovar o atraso do vôo e os gastos extras. Quando o atraso é superior a quatro horas, a companhia aérea deve providenciar alimentação, hospedagem e o transporte para outro aeroporto ou hotel.Qualquer reclamação pode ser feita na própria companhia aérea ou no posto da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) no próprio aeroporto. Os passageiros podem conhecer melhor seus direitos nos sites do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) ou do Procon.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.