Infraero: atrasos nos aeroportos diminuem para 14,5%

Contrariando as expectativas de um novo caos aéreo, após os controladores de Manaus e Curitiba terem adotado a operação-padrão, a situação nos aeroportos do País se mantém estável. O último boletim divulgado nesta sexta-feira pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) aponta de 14,5% dos vôos tiveram atrasos superiores a uma hora, da zero hora às 17 horas. Dos 1.259 vôos programados, 183 foram afetados por atrasos.Os índices, entretanto, continuam maiores do que o dos últimos dias. Com exceção de sábado, 24, quando 21,7% dos vôos tiveram atrasos, os demais dias registraram índices abaixo de 13%.Em consulta ao site da Infraero, por volta das 17h30, era possível observar que a situação mais complexa era verificada no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, onde 26 vôos apresentavam atrasos. Lá, a espera chegava a 2h30. O Aeroporto Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro, também tinha problemas: 18 vôos saíam, ou chegavam, fora do horário.No Aeroporto de Congonhas, onde por volta das 14 horas, 33 vôos tinham atrasos, a situação já era um pouco melhor neste momento. No terminal aeroportuário da Capital 15 vôos apresentavam atrasos que chegavam a até três horas. O Aeroporto Santos Dumont, no Rio, registrava doze vôos atrasados.Em Brasília, o Aeroporto Juscelino Kubitscheck apresentava apenas três vôos com problemas de horário. Por causa do volume de tráfego aéreo com destino ao Rio de Janeiro e São Paulo no O Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, de Brasília, no início da noite desta sexta, a Aeronáutica implantou um seqüenciamento com espaçamento maior de decolagens. No Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba, um dos protagonistas dos problemas desta sexta, seis vôos mostravam estarem atrasados. Já o Aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus, também centro do noticiário desta sexta, apenas dois vôos tinham atrasos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.