Infraero contabiliza 460 atrasos em vôos

O presidente da Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero), brigadeiro José Carlos Pereira, informou na tarde desta segunda-feira, 13, que cerca de 460 vôos programados em todo o País registraram atrasos entre a meia-noite até o início da tarde. "Um diretor da Infraero passou o diabo para chegar a Brasília", afirmou o brigadeiro, ao chegar para a reunião no Palácio do Planalto com a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o ministro da Defesa, Waldir Pires, para avaliar os motivos dos novos atrasos dos vôos nos principais aeroportos do País.Pereira disse esperar que o brasileiro possa viajar tranqüilo no próximo feriado e lembrou que o esquema de emergência, montado na volta do feriado de finados, deu bom resultado.De acordo com informações da Infraero, empresa que administra 68 aeroportos no País, dos 1.022 vôos programados desde a meia-noite até as 14h30 desta segunda, 428 ou 41,8% sofreram atrasos "superiores a 15 minutos". A estatal explica que, nessa avaliação, são levados em conta somente os vôos das companhias aéreas regulares, que não incluem aviões de pequeno porte nem os fretados. A empresa ressaltou que os atrasos podem ocorrer por diversos motivos, "sejam problemas no tráfego aéreo, meteorológicos, ou técnicos (da própria companhia aérea)." Em comparação com o período da manhã, houve aumento de 11% no total de vôos atrasados. Até as 9 horas, dos 475 vôos programados, 31% ou 148 registraram atrasos superiores a 15 minutos. O número, porém, é considerado normal de acordo com a Infraero no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. O Comando da Aeronáutica informou que os atrasos durante a madrugada e manhã desta segunda foram conseqüência, ainda, dos problemas registrados no domingo, em todo País, provocados pela determinação de controle de fluxo aéreo e retenção de decolagens, por causa da ausência de dois controladores no Cindacta 1, em Brasília. Segundo a Aeronáutica os dois controladores faltaram por problemas de saúde. Para suprir a ausência dos dois funcionários, outros controladores tiveram que acumular mais vôos, o que pode ter desencadeado os atrasos. AtrasosApesar dos atrasos ainda estarem ocorrendo nesta tarde, em alguns aeroportos a situação já estava bem melhor em comparação com problemas registrados pela manhã. No Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, pelo menos 11 vôos estavam atrasados por volta das 15h30, com espera superior de 30 minutos. Em comparação com o final da manhã, quando foram registrados 21 atrasos em pousos e decolagens, com média de espera de uma hora e meia, a situação melhorou. Mas pela manhã houve até casos de atrasos de quase três horas em pelo menos três vôos, como no caso de um vôo da companhia aérea Gol, previsto para chegar às 9h40 e que pousou apenas às 13 horas. No Rio, os atrasos afetavam 10 vôos do Aeroporto internacional do Galeão, situação bem melhor em relação ao período da manhã quando 21 pousos e decolagens estavam atrasados. Em Brasília, no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, também se confirmou atrasos em 12 vôos. O vôo 3370 da aérea TAM, por exemplo, que iria decolar às 11h50, foi adiado para às 14h40. Pela manhã foram registrados 19 atrasos. No Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Belo Horizonte, pelo menos seis vôos estavam atrasados. Pela manhã, quatro vôos atrasaram e um foi cancelado. Em Porto Alegre, no Aeroporto Internacional Salgado Filho, três vôos mostram atrasos, mesmo número registrado pela manhã.Falta de controladoresA ausência de dois controladores de vôo em Brasília no sábado por motivos pessoais voltou a provocar atrasos nos principais aeroportos do País neste fim de semana. No domingo, o presidente da Infraero, o brigadeiro José Carlos Pereira, declarou que os atrasos são causados por "problemas de recursos humanos". "Falta gente, mesmo. Ninguém fala que falta radar, ou antena. O que falta é gente", disse Pereira. A falta de pessoal faz com que outro operador tenha de assumir o controle, acumulando mais vôos para controlar, além dos 14 que cada um pode administrar por vez.No domingo, dos 1.567 vôos programados, 670 ou 42,2% sofreram atraso superior a 15 minutos, e 49 foram cancelados, informou Pereira. Na avaliação da Infraero, o grande número de atrasos se deve a um "efeito cascata" que ocorre a partir dos primeiros casos. No domingo, por exemplo, a origem dos problemas estava nos aeroportos de São Paulo - Congonhas e Guarulhos - e em Belo Horizonte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.