Infraero e Anac não se acertam na divulgação sobre atrasos

Os atrasos continuam no setor aéreo, agora não somente nos vôos, mas também no processo de divulgação de boletins sobre os atrasos de pousos e decolagens.Desde quarta-feira, 22, a responsabilidade pelos boletins é da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), quando a agência fez um acordo com a Infraero para que as informações sobre atrasos ficassem concentradas, possibilitando a melhoria na comunicação com passageiros e profissionais da aeronáutica.De acordo com o boletim divulgado às 13h43, dos 912 vôos programados no País para esta sexta-feira, 200 registram atraso superior a 45 minutos, o que corresponde a 21,9% do total. Se somado os vôos com atrasos de 30 a 45 minutos, chega-se a 420 pousos e decolagens com atraso - ou 46% do total. Outros 294 vôos registraram atrasos de 15 a 30 minutos. De acordo com informações da assessoria de imprensa da Anac, a centralização das informações "não é algo que daria para ser feito de um dia pro outro" e completou dizendo que o problema será resolvido o quanto antes.Situação nos aeroportosNos aeroportos, novos atrasos marcam a manhã desta sexta-feira, 24. Em São Paulo, às 12h30, o Aeroporto Internacional de Congonhas, na zona sul da cidade, registrava oito vôos nacionais fora do horário programado. Número pouco abaixo do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos, no qual cinco vôos domésticos e um internacional seguiam atrasados. No Aeroporto Internacional Galeão, Rio de Janeiro, dez vôos estavam atrasados, quatro deles internacionais, além de oito cancelados. O Santos Dumont, também no Rio, era o único sem atrasos e cancelamentos.No Aeroporto Internacional de Brasília - Presidente Juscelino Kubitschek, somente o vôo doméstico 1802 da Gol com destino a Belo Horizonte, estava atrasado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.