Infraero e Gol prestam homenagens às vítimas do acidente

A Infraero realizará na tarde desta quinta-feira, 5, uma missa em intenção das 155 vítimas do vôo 1907 do Boeing 737-800 da Gol que caiu após colisão com o jato Legacy, sexta-feira, 29, no Mato Grosso, na maior tragédia da aviação civil no Brasil. A celebração será no Santuário Dom Bosco, em Brasília. Às 17 horas, a Gol Transportes Aéreos também prestará uma homenagem às vítimas do acidente. Os colaboradores da Gol que não estiverem em vôo irão parar suas atividades e fazer um minuto de silêncio e oração em memória dos passageiros e tripulantes. De acordo com a nota divulgada pela empresa: "A homenagem será prestada em todas as unidades da Companhia no Brasil. A Infraero autorizou e apoiará a iniciativa em todos os aeroportos e convidará todas as pessoas que neles estiverem a aderirem à manifestação silenciosa de solidariedade."Homenagens em ManausEm Manaus, também é dia homenagens aos mortos no acidente com o Boeing da Gol. Muitos passageiros moravam na cidade, local de partida do vôo 1907 que tinha como destino o Rio de Janeiro, com escala em Brasília. A Arquidiocese de Manaus realiza uma missa na Igreja Matriz, no centro da cidade, às 18 horas desta quinta-feira que deve reunir parte das famílias de passageiros do vôo residentes em Manaus.As homenagens começaram logo pela manhã. Funcionários da Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi) participaram de uma missa em homenagem ao técnico de informática Gilcley Costa, de 27 anos, que trabalhava e estudava na instituição. Ele viajava para Brasília, para pedir a namorada, Ana Carolina da Silva Gomes de Sá, em casamento. Além de Gilcley, a missa homenageou a analista de sistemas Joseane Falcão, coordenadora de teste de alta tecnologia da Quality Software Ltda., parceira da Fucapi. A missa foi realizada às 9 horas na própria instituição, no Distrito Industrial de Manaus.Às 16 horas (horário local, 17h em Brasília) hevará um minuto de silêncio dos funcionários da Gol no Aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus. A homenagem será no Terminal 2, o de desembarque. ResgateAs equipes de resgate continuam os trabalhos de buscas das vítimas nesta quinta. Dos 155 corpos das vítimas do acidente, apenas 38 haviam sido retirados até quarta-feira, 4. Já foram encontrados 55 corpos na mata, mas o trabalho de retirada é difícil porque os militares têm de abrir pequenas áreas na mata onde são encontrados os corpos. O helicóptero precisa pousar em cada local desses para depois reunir os corpos em uma clareira.Mais 27 homens da Força Aérea Brasileira (FAB) chegaram na quarta à fazenda para fazer a substituição das equipes. Também está prevista a montagem de tanque de 10 mil litros de combustível. Com isso, haverá maior autonomia para os helicópteros, que não precisarão ir à Base Aérea de Cachimbo.(Colaborou Michele Portela, de Manaus)Matéria ampliada às 14h20 com informações de Manaus

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.