Infraero garante que situação nos aeroportos é normal

O Comando da Aeronáutica e a Infraero informaram nesta sexta-feira, 3, que a situação nos aeroportos do País é de normalidade. De acordo com a Aeronáutica não há nenhum cancelamento de vôo nos aeroportos que tenha sido provocado por problemas no tráfego aéreo. Ainda de acordo com o Comando da Aeronáutica os 149 controladores convocados na quinta-feira foram submetidos a uma nova escala de trabalho que já começou a vigorar. A cada período de oito horas, cerca de 28 a 30 operadores trabalham em oito mesas de acompanhamento do tráfego aéreo no Cindacta 1, o centro de controle aéreo em Brasília. Ainda não há uma definição em relação à data na qual os novos controladores a serem contratados começarão a trabalhar. A medida provisória que autoriza a contratação temporária de 60 controladores foi publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial da União.As vagas serão ocupadas por militares que recentemente passaram para a reserva. Na quinta-feira, o comandante da Aeronáutica, Luiz Carlos Bueno, informou que além dos controladores que serão contratados e dos 149 convocados, sete foram remanejados de outros Estados e outros 11 profissionais da reserva voltarão à ativa neste período de emergência. Todos passam por treinamentos de cerca de 30 horas, para se readaptarem ao sistema. Na próxima segunda-feira, 6, será publicado também um edital de concurso público para a contratação de 64 controladores de vôo civis que passarão por curso de formação de nove meses de duração.Horário ampliado em CongonhasA ampliação do horário de funcionamento do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, uma outra medida para tentar contornar a crise no sistema aéreo, deverá continuar até o dia 1º de dezembro de acordo com resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) publicada nesta sexta-feira, no Diário Oficial da União. Desde quarta-feira, 1, Congonhas funciona das 6 da à 1h30 por causa da operação-padrão deflagrada por controladores de vôo de Brasília e que provocou atrasos de vôos em todos os aeroportos do País. Antes, o aeroporto funcionava até as 23 horas e a medida já incomoda os vizinhos. A presidente da Associação de Moradores e Amigos de Moema (Amam), Lygia Veras Horta, por exemplo, teme que a exceção vire regra. "Sabemos que medida provisória no Brasil tende a virar permanente, por isso queremos uma reunião com os responsáveis. Se precisar, vamos ao Ministério Público", disse Lygia ao Estado. O aeroporto, segundo a Anac, movimenta 12% do volume total de vôos nacionais e concentra 16% dos passageiros da aviação civil brasileira. A resolução ressalta que a prorrogação do horário abrange exclusivamente as empresas de transporte aéreo regular. "Durante o horário excepcional de funcionamento do referido aeroporto, não serão autorizadas operações que envolvam vôos da aviação geral e não regulares, com exceção daqueles destinados ao transporte de doentes ou feridos, transporte de órgãos vitais para transplante humano ou engajados em operações de busca e salvamento".Operação-padrãoOs diversos atrasos e cancelamentos de vôos nos aeroportos do País começaram a acontecer na sexta-feira, 27, quando os controladores de vôo de Brasília resolveram adotar uma operação-padrão com o objetivo de chamar a atenção sobre as condições de trabalho. Após o acidente com o Boeing da Gol, em que 154 pessoas morreram no dia 29 de setembro, a equipe de Brasília ficou muito sobrecarregada com o afastamento de oito controladores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.