Infraero prevê investimento de R$ 6,48 bilhões em aeroportos até 2014

Com a Copa, volume de passageiros deve crescer cerca de 10% sobre a movimentação estimada

Reuters

14 de julho de 2010 | 18h24

SÃO PAULO - Os aeroportos do país receberão um investimento de R$ 6,48 bilhões até 2014, quando o Brasil vai sediar a Copa do Mundo, disse o superintendente da Infraero, Jonas Lopes, dias depois de a infraestrutura para receber o Mundial ter sido alvo de críticas.

Desse total, cujos recursos virão da Infraero (61%) e do governo federal (49%), R$ 5,4 bilhões serão investidos nos 14 aeroportos relacionados com as 12 cidades-sede do Mundial, informou a estatal.

"Segundo estudos encomendados pelo Ministério da Defesa, durante a realização do Mundial, o volume de passageiros deve crescer em torno de 10% sobre a movimentação estimada para o ano", disse a Infraero em comunicado.

A previsão para 2014 sem a Copa seria de 26 milhões de passageiros, afirmou Lopes durante audiência pública da Comissão de Viação e Transportes (CVT) da Câmara. Em alguns aeroportos, como os de Guarulhos, Campinas e Brasília, a Infraero prevê a instalação de módulos operacionais, que darão suporte ao atendimento da demanda nesses terminais.

Críticas. A situação aeroportuária é a que mais preocupa para o torneio que será sediado pelo Brasil, segundo o presidente da Confederação Brasileira de Futebol e do comitê organizador do Mundial, Ricardo Teixeira. Na semana passada, em entrevista na África do Sul, o dirigente não soube informar sobre investimentos e disse que a área era de responsabilidade da Infraero.

 

Porém, o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, disse que o Brasil será dividido em "quatro regiões para garantir que torcedores não tenham que viajar por mais de uma ou duas horas entre um estádio e outro". A ideia é evitar grandes deslocamentos das seleções entre as 12 cidades que vão receber jogos do Mundial: Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Além das obras visando a Copa, a Infraero planeja ações visando as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. "Fazemos esse planejamento anualmente e temos investimentos previstos para depois de 2014 também", afirmou Lopes, segundo comunicado divulgado pelo presidente da CVT, deputado Milton Monti (PR-SP). Lopes acrescentou que nenhuma das obras causará transtorno aos passageiros porque serão usados terminais temporários para atender os usuários.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014aeroportos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.