Infraero promete que aeroporto de Salvador vai se normalizar

Depois de uma madrugada bastante tensa nesta quinta-feira, 2, com a presença da polícia no aeroporto para evitar possíveis conflitos, as coisas já estão se normalizando, segundo a Infraero, no Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães, em Salvador.Dos 21 vôos atrasados da meia-noite às dez horas, a torre de controle liberou 11, entre 8h10 e 10h20 da manhã desta quinta. Ao meio dia havia 14 aeronaves no pátio e tinham decolado dois vôos para Guarulhos, dois para Congonhas e dois para o Galeão, além de vôos para Recife, Natal, Vitória e Brasília.Segundo Cassiano Ferreira, superintendente regional da Infraero, a tendência é de que os vôos passem a decolar com normalidade para que o aeroporto volte à sua funcionalidade sem problemas. "Reforçamos a segurança do aeroporto e o pessoal do balcão de informações, onde tudo o que dizemos é confirmado através da torre de controle e das companhias aéreas. Entendemos a dificuldade de embarque de passageiros que estão aqui há mais de quatro ou cinco horas e a orientação é que se vá à exaustão para atendê-los da melhor forma possível", declarou.Já para o administrador de empresas Ader Assis, em viagem de negócios, as coisas não estavam assim tão normais. Ele voava de Fortaleza para Belo Horizonte com conexão no Rio. Para decolar levou mais ou menos quatro horas. "A torre de Brasília autorizou a decolagem e alguns minutos antes do avião entrar no espaço aéreo de Brasília, ele teve sua entrada proibida e o mandaram para Salvador. Pousamos às 22h30 de ontem, estou há mais 12 horas no aeroporto", desabafou.Ader foi acomodado num vôo direto para Belo Horizonte que não tinha previsão de saída. Além disso, afirmou que foi maltratado pela Infraero quando foi pedir informações. "Se a vigilância sanitária estivesse aqui ontem (quarta) à noite e visse as condições dos banheiros, pessoas dormindo no chão, estava parecendo aquele seriado, o Lost. É cada um por si, a companhia aérea não assume a responsabilidade. Onde está a dignidade e o respeito ao ser humano?" Ader teve que cancelar todos os seus compromissos. Irritado alegou que sua viagem não serviu para nada, só ficou no aeroporto.Para Pedro Martins, com duas reuniões importantes praticamente canceladas, vindo do Rio, com conexão em Salvador, onde perdeu o vôo para Ilhéus e só tem previsão de embarcar às 23h (ele chegou em Salvador às sete da manhã), o problema é a falta de informação. "Eles mandam todo mundo para o embarque, o pessoal chega lá e não embarca", denunciou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.