Infraero propõe medidas para reduzir ruídos no Aeroporto de Santos Dumont

Nível máximo permito à noite é de 55 decibéis; passagem de aviões eleva para 90

Priscila Trindade, estadão.com.br

05 Outubro 2011 | 21h03

SÃO PAULO - A presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, afirmou nesta quarta-feira, 5, que será monitorada a fase de testes de novos procedimentos de pouso e decolagem no Aeroporto Santos Dumont, no Rio, com o objetivo de reduzir o nível de ruído. As novas medidas, apresentadas pela Infraero, incluem maior altitude e novos ângulos de aproximação das aeronaves.

Os testes, com duração de 45 dias, foram anunciados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). O objetivo da ação é de amenizar os ruídos causados na chamada Rota 2, que abrange bairros como Santa Teresa, Laranjeiras, Urca e Flamengo. O barulho causa incômodo aos moradores dessas regiões.

Atualmente, a média horária de ruído verificada pelo monitoramento, realizado na Rua Bambina, em Laranjeiras, e em Santa Teresa, está em torno de 60 a 65 decibéis, mas a passagem dos aviões pode elevar o ruído para mais de 90 decibéis. O nível máximo de ruído noturno é de 55 decibéis.

No início do ano, o Inea propôs a diminuição do número de pousos e decolagens de 23 para 14 nesses no período entre 6h e 8h e entre 20h e 22h30, mas a estatal recorreu à Justiça e obteve uma liminar suspendendo a decisão.

Mais conteúdo sobre:
ruído Santos Dumont aeroporto Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.