Infraero reduz tempo de fechamento do Aeroporto de Curitiba durante obras

Reforma começa em setembro e deve durar 270 dias no Afonso Pena; Londrina também terá obras

Evandro Fadel , O Estado de S. Paulo

19 Agosto 2011 | 14h37

CURITIBA - A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) decidiu reduzir os horários em que o Aeroporto Internacional Afonso Pena, na região metropolitana de Curitiba, permanecerá fechado para obras na pista, que se estenderão por nove meses. Os pousos e decolagens serão suspensos das 0h15 às 6h15 de segunda-feira a sábado, e das 20h15 de sábado até as 12h15 de domingo. "Foi um consenso para menor impacto, mas que visa uma obra fundamental e importante para garantir a segurança operacional", disse o superintendente do Afonso Pena, Antonio Pallu.

 

 

No cronograma anterior, as operações seriam interrompidas das 23h30 às 6h entre segunda-feira e quinta-feira, e das 14h de sábado até as 12h de domingo. O início dos trabalhos, antes previsto para 12 de setembro, foi adiado para 19 de setembro. "O planejamento é para que não aumente (a previsão de 270 dias de obras) para não gerar mais impacto", acentuou Pallu. Segundo ele, no feriado da Proclamação da República e nas festas de fim de ano, as reformas serão suspensas, permitindo que as operações aeroportuárias ocorram normalmente.

 

As principais obras a serem realizadas nesse período são a troca da camada de asfalto da pista, a execução de ranhuras e a substituição de luminárias. "São intervenções importantes que vão prolongar a longevidade da pista, garantindo níveis de segurança", disse Pallu. Segundo o superintendente do Afonso Pena, o último trabalho de porte na pista foi feito na década de 1990, mas nessa época não se mexeu nas luzes. "É preciso realizar para não entrar em colapso futuro", afirmou.

 

Pallu adiantou que a instalação do ILS categoria 3, que permitirá operações de pouso e decolagem em condições meteorológicas desfavoráveis, está prevista para 2013. A construção de nova pista ainda depende de levantamento da área a ser atingida, que é feito pelo governo do Estado. Algumas obras já estão em andamento no Afonso Pena, entre elas as ampliações do terminal de cargas, dos estacionamentos de aeronaves e automóveis, e das pontes de embarques. As obras contratadas somam mais de R$ 80 milhões.

 

O superintendente regional da Infraero, Carlos Alberto da Silva Souza, anunciou que também o Aeroporto Governador José Richa, de Londrina, no norte do Paraná, terá as operações de pouso e decolagem suspensas entre meia noite e 6 horas durante a semana, e das 19 horas de sábado até as 11 horas de domingo, a partir do dia 12 de setembro até março do próximo ano. Ali serão realizadas obras de recapeamento da pista. Em 2012 serão divulgados editais para ampliação do terminal de passageiros e colocação de mais esteiras de bagagem.

 

Para Foz do Iguaçu está previsto o investimento de R$ 66 milhões na ampliação das salas de embarque e desembarque, substituição de escadas rolantes, climatização do saguão e aumento da cobertura da parte frontal, garantindo mais conforto para os turistas que utilizam ônibus para acessar o terminal. As obras não afetarão os voos. O Aeroporto do Bacacheri, no perímetro urbano de Curitiba, que se destina mais à aviação executiva, também tem projeto para ampliação do pátio e de um novo prédio administrativo, visando à Copa do Mundo de 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.