Infraero registra atrasos em 15,1% dos vôos em todo o País

Os passageiros ainda encontravam situação relativamente tranqüila nos principais aeroportos na tarde desta sexta-feira, 30, mesmo como anúncio da operação-padrão de controladores de vôo em Curitiba (PR) e Manaus (AM), que poderá se estender para todo o País. Segundo o último boletim da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), da zero hora até as 14 horas, 15,1% dos vôos tinham atrasos superiores a uma hora. Até o meio-dia, este índice era de 14,1%. Os terminais aeroportuários paulistas, que mostravam situação relativamente tranqüila na manhã desta sexta, já apresentavam dados expressivos de atrasos neste início de tarde. Em consulta ao site da Infraero, por volta das 14 horas, o Aeroporto Internacional de Congonhas, em São Paulo, apontava 33 vôos com atrasos. A espera chegava a três horas. Já no Aeroporto Internacional de Cumbica eram verificados atrasos em 24 vôos. Os passageiros enfrentam até cinco horas de atraso em Cumbica.O Aeroporto Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro, registrava 16 vôos fora do horário com esperas de até cinco horas. O Aeroporto Santos Dumont, também no Rio, mostrava condições mais amenas aos passageiros - cerca de cinco vôos mostravam atrasos.O Aeroporto Tancredo Neves, em Belo Horizonte, apresentava quatro vôos com atrasos, que chegavam a até duas horas. No terminal aeroportuário Juscelino Kubitscheck, em Brasília, cinco vôos tinham problemas com atrasos. Na capital federal a espera chega a cinco horas.O Aeroporto de Manaus, onde a operação-padrão foi adotada pelos controladores, apenas um vôos saía fora do horário. Em Curitiba, no Paraná, onde também foi adotada a mesma operação, cerca de quatro vôos eram afetados por atrasos.CaosA situação deve piorar ainda ao longo desta sexta. Controladores civis de Manaus (AM) e de Curitiba (PR) já adotaram a operação-padrão. Com a medida, os controladores passam a seguir as normas internacionais, que determinam que cada operador deve controlar, no máximo, 14 aeronaves simultaneamente. Diante disso, o intervalo entre os pousos e decolagens aumenta, o que deve acarretar atrasos e cancelamentos de vôos.Os atrasos pode se estender ao final de semana, causando mais transtornos aos passageiros. E o caos aéreo ainda pode se instalar no feriado prolongado da Páscoa, pois há rumores de que controladores do Rio de Janeiro façam uma greve na próxima segunda, dia 02 de abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.