Início do horário político não traz surpresas

O primeiro horário político da campanha 2006 nas rádios brasileiras começou sem surpresas. Como é o costume, o início da campanha é caracterizado por candidatos que se apresentam para o eleitor, evitando ataques aos adversários, e ausência de detalhes em suas promessas de campanha.Em um programa breve, a candidata do PSOL Heloísa Helena pediu ao eleitor um voto contra a corrupção.O programa do candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, apresentou uma breve biografia explorando a história pessoal de Alckmin, da origem em Pindamonhangaba ao governo de São Paulo, embalado por um baião típico com o mote ?o Brasil tem jeito sim senhor?.O programa do candidato procurou vínculos com o eleitor com todos os ganchos possíveis. Após a narrativa de apresentação, o programa usou entrevista em estúdio entre narrador e o candidato, onde os focos foram os valores, a família e a ética.Em conversas com eleitores, Alckmin prometeu seriedade e respeito, varrer a corrupção e ainda defendeu a paternidade do programa assistencial Bolsa-família, que só teria recebido ?outro nome?, e que, caso eleito, será ampliado. O programa finalizou com a promessa de geração de empregos.Em seguida, entrou o programa do candidato Cristovam Buarque do PDT, com a associação à figura histórica do partido, Leonel Brizola. O foco de Cristovam foi a defesa de uma educação de qualidade como a solução para vários problemas brasileiros e ainda chamou a atenção para paises como Espanha e Coréia, que ?eram mais atrasados do que nós? e que fizeram sua revolução pela educação.Seguindo a ordem sorteada dos partidos, o PCO não apresentou programa, com apenas uma vinheta. O PSL também teve seu tempo ocupado por uma vinheta, marcando o período reservado à legenda.O próximo candidato foi Lula, que também chamou a atenção para a sua biografia, com narrativa embalada também por um baião, mesmo expediente de Alckmin, contando a história do garoto que ?saiu do campo para a cidade? e que foi engraxate, vendedor, até se tornar operário.O programa do candidato também explorou o vínculo com a história sindical do País, até chegar ao posto de ?líder de 180 milhões de brasileiros?. Sobre a campanha propriamente dita, Lula chamou a atenção para o que chamou de ?resultados, combinando desenvolvimento econômico, justiça social e distribuição de renda?, além de ressaltar o compromisso com programas de incentivo à educação saúde, agricultura, é à ?ascensão social dos brasileiros?, que teria sido, segundo o candidato ?a maior nas últimas décadas.?Além do horário político ao meio-dia, os candidatos a presidente voltam ao rádio na próxima quinta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.