Inpe anuncia que primavera vai ser quente

A estação ainda é o inverno e a primavera só chega no dia 23 de setembro, mesmo assim, os meteorologistas já avisaram que a nova estação vai ser mais quente que a média histórica dos últimos 30 anos. Um estudo sobre o clima nos meses de setembro, outubro e novembro, feito pelos especialistas do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec/Inpe), revela que a primavera pode ter algumas frentes frias, mas terá temperaturas mais altas. "Não podemos quantificar, mas sabemos que as temperaturas estarão mais elevadas e a primavera será sim mais quente, acima da média", considerou o meteorologista Linconl Muniz Alves. A média histórica da região Sudeste do país, por exemplo, é de máximas de 32 graus. A explicação para o calor antecipado é a mesma que ocorreu no inverno: uma massa de ar quente e seco - semelhante a uma tampa de panela - se posiciona na atmosfera e impede a formação de nuvens, que amenizam o calor e provocam chuvas. "A tendência dos atuais modelos do clima e a configuração atual da atmosfera nos faz prever a primavera. Também teremos baixos índices de umidade do ar". A estiagem deve se estender até a primeira quinzena de outubro e somente depois desta data é que o período de chuva ocorre. Apesar da previsão de calor, a previsão do clima não descarta frentes frias que poderão mudar as temperaturas drasticamente. "A primavera é uma estação de transição, entre o inverno e verão, e pode ser que ocorram períodos de frio, que vão diminuindo gradativamente". Segundo o especialista, o fenômeno El Niño - superaquecimento das águas do Oceano Pacífico - vai ser de fraca intensidade segundo projeções dos modelos oceânicos e não deve afetar diretamente a primavera.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.