Inquérito investiga relação da polícia do RJ com drogas

Um Inquérito Policial Militar (IPM) investiga no Rio, sigilosamente, se a experiência mais famosa de combate local à criminalidade - o Grupo de Policiamento de Áreas Especiais (GPAE), lotado nos Morros Pavão-Pavãozinho e Cantagalo e recentemente visitado pelo príncipe Charles - tem ou não relação formal com o tráfico de drogas. Quem faz a acusação, em três páginas, assinando embaixo, é o capitão Severino Barbosa. Até 25 de fevereiro, ele era o terceiro homem no GPAE, atrás dos majores Antônio Carlos Carballo, então comandante, e José Augusto de Oliveira Junior, o comandante atual. Leia mais no Estado

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.