Inquérito que apura maus-tratos em creche em GO deve ser finalizado

Polícia instalou câmeras em creche e flagrou uma mulher de 62 anos jogando crianças de até 2 anos no chão, torcendo os braços dos bebês e batendo em seus rostos

Priscila Trindade , Central de Notícias

08 Novembro 2010 | 16h02

SÃO PAULO - A Polícia Civil pretende encerrar ainda nesta semana o inquérito que apura denúncias de crianças torturadas pela proprietária de uma creche no Parque das Laranjeiras, em Goiânia. As vítimas de até dois anos de idade estavam sob os cuidados da suspeita.

 

Os casos passaram a ser investigados há cerca de 40 dias. Durante as investigações, a polícia instalou câmeras na creche particular Bebê Feliz para comprovar as agressões. Maria do Carmo Serrano, de 62 anos, foi filmada jogando os menores no chão, torcendo os braços dos bebês e batendo em seus rostos.

 

A delegada Adriana Accorsi, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), afirmou que os pais das crianças e as funcionárias do estabelecimento já começaram a ser ouvidos. Além disso, os menores serão submetidos ao exame de corpo de delito.

 

Segundo o Ministério Público de Goiás (MP-GO), o advogado da dona da creche disse que ela vai se apresentar à polícia, mas não informou quando. No último dia 22, o juiz José Carlos Duarte, da 7ª Vara Criminal de Goiânia, negou o pedido de prisão temporária contra Maria do Carmo. Para o magistrado "não se fazem presentes os elementos necessários para a decretação da prisão preventiva até porque se comprovadas a materialidade e, com indícios de autoria, poderia haver denúncia e apreciação judicial da questão, o que inexiste".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.