Inquérito vai apurar homicídios

Além da apuração técnica, sob o comando do Escritório de Investigações e Análises sobre a Aviação Civil (BEA), o Ministério Público de Paris abriu ontem, como previsto, um inquérito judiciário contra "X" - ou seja, sem autoria conhecida - por homicídio culposo (involuntário). As investigações do BEA e do Ministério Público têm caráter complementar.De acordo com comunicado divulgado pelo MP francês, a investigação será conduzida pela juíza Silvie Zilmmerman. A nota informa ainda que a Procuradoria de Paris já notificou, por meio de cartas, as famílias dos passageiros que viajavam no voo 447. A Airbus e a Air France já se comprometeram a colaborar com as investigações. Mas ressaltaram que as apurações de causas passam pelo BEA. A promotoria ainda deve averiguar se eventuais penalidades foram cometidas pelas empresas, de forma que possam resultar em ressarcimentos futuros. Essa investigação também ficará sob responsabilidade da Gendarmería de Transportes Aéreos (GTA), que conta com a assistência dos agentes do Instituto de Investigações Criminais da chamada Gendarmería Nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.