Insanidade será a defesa de pai que tentou matar os filhos

Insanidade mental será a principal linha da defesa do produtor musical Alexandre Alvarenga, acusado de dupla tentativa de homicídio contra os filhos. Alvarenga e a mulher, Sara Maria RosolenAlvarenga, permaneceram nesta quarta-feira, até o início da noite, internados no departamentode psiquiatria do Hospital Celso Pierro, da PUC Campinas, sob decisão judicial.No domingo, Alvarenga atirou o filho de 1 ano contra um carro em movimento e em seguida bateu várias vezes com a cabeça da filha, de 6 anos, em uma árvore. A mulher o acompanhava e também bateu com a própria cabeça na mesma árvore.O menino está internado em estado grave no Hospital Municipal Mário Gatti. A menina permanece sob a guarda dos avós maternos. O juiz José Henrique Torres determinou nesta terça-feira que o hospital fizesse exames mais detalhados no casal e elaborasse um laudo determinando a necessidade ou não de mantê-lo internado para tratamento psiquiátrico.O laudo foi concluído no início da noite desta quarta e entregue diretamente a Torres. O hospital não divulgou o conteúdo do relatório.Independentemente do resultado, o advogado de Alvarenga, Luiz Henrique Cirilo, entrou comum pedido na Justiça para que o casal seja submetido a novos exames de sanidademental.Cirilo pretende que Alvarenga e a mulher não sejam enviados a prisões, mas ao Hospital de Custódia, onde passariam pelos testes psiquiátricos. Neste caso, o laudo leva, como deterrmina a lei, até 45 dias para ser concluído, conforme o advogado. ?Se eles forem para a cadeia, correrão risco de vida?, sustentou Cirilo.Ele disse que acredita na hipótese de anormalidade mental. ?Só isso pode explicar o que ocorreu naquele momento. Algo mais sério, de origem psiquiátrica, desencadeou tudo. Umindivíduo em sã consciencia não tem a atitude que ele teve?, afirmou.O advogado comentou que exames preliminares feitos no Hospital Celso Piero apontaram ausência de cocaína e álcool no sangue dos acusados.Mas lembrou que os exames oficiais serão divulgados pelo Instituto Médico Legal(IML) de Campinas. Segundo a Polícia Civil, o laudo do exame toxicológico não haviasido encaminhado pelo IML até a tarde desta quarta.Cirilo descartou o uso de drogas, problemas e relacionamento do casal, financeiros,e mesmo fanatismo religioso, apesar de testemunhas terem ouvido Alvarenga e amulher falarem sobre Satanás e a ausência de Deus. A família tem evitado comentar ocaso, mas também descartou brigas entre o casal, uso de drogas e práticas religiosasnão-ortodoxas.Uma mulher que atendeu a reportagem na casa da mãe de Sara, nesta quarta de manhã, e se identificou como amiga da família, disse que Alvarenga poderia estar com um quadrode estafa por excesso de trabalho.Ele tem uma produtora musical, compõe jingles,arranjos e gravou dois CDs sertanejos com sua mulher. ?É duro entender o que aconteceu. Nem cerveja ele tomava. Todos queríamos umaexplicação?, afirmou a amiga da família. Cirilo acredita que estafa não poderia desencadear uma crise tão séria, e comentou que pretende insistir na hipótese de insanidade mental.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.