Inspetor da polícia é morto por assaltantes com 10 tiros

O inspetor da Polícia Civil Antônio FernandesSoeiro, de 43 anos, foi assassinado na manhã de hoje por assaltantes que tentaram levar o carro do policial, um Monza vinho, perto do morro da Mangueira, na zona norte. Segundo informações da Polícia Militar, Soeiro foi executado com dez tiros que atingiram peito, costas, barriga e pernas, por volta das 6h30. O inspetor morreu quando era levado para o Hospital Souza Aguiar, no centro.Até o fim da tarde, a polícia não tinha pistas dos assassinos. Os investigadores acreditam que os assaltantesmataram Soeiro depois de descobrir que ele era policial. O inspetor foi retirado do carro, que foi abandonado na Rua João Rodrigues, e assassinado em uma esquina perto da Vila Olímpica da favela. Casado com Márcia Soeiro, de 42 anos, diretora de uma escola pública, o inspetor assassinado tinha dois filhos, Vinícius, de 14 anos, e Vítor, de 11.Soeiro estava na polícia há 18 anos. Segundo Márcia, ele era responsável pelo estande de tiros da Academia de Polícia e, há um mês, foi transferido para a 20ª DP, em Vila Isabel, na zona norte.

Agencia Estado,

23 de maio de 2004 | 17h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.