Inspetor é preso suspeito de comandar milícia no Rio

Um inspetor da Polícia Civil no Rio de Janeiro foi afastado por suspeita de comandar uma das mais antigas milícias que disputam o controle de favelas pelos traficantes, de acordo com reportagem do Jornal Hoje, da TV Globo. Félix dos Santos Tostes ocupava um cargo de confiança na corporação até o fim de janeiro. Uma denúncia anônima levantou a suspeita de que o inspetor seria o chefe da milícia na favela de Rio das Pedras, em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio. Ele chegou a ser condecorado com a medalha de honra, fidelidade e devotamento da Polícia Civil, e era assessor do gabinete da corporação. Segundo o chefe de polícia Gilberto Ribeiro, ele não apareceu durante 30 dias e a corregedoria foi acionada para instaurar um inquérito criminal para apurar o fato. No fim de semana, seis pessoas morreram durante confrontos entre traficantes e integrantes de milícias em favelas da Ilha do Governador e Cordovil, no subúrbio do Rio de Janeiro. Dois homens eram policiais militares que estavam de folga. Um indício que eles participariam das quadrilhas formadas por policiais, ex-policiais e bombeiros - que expulsam traficantes e cobram para dar suposta proteção aos moradores.

Agencia Estado,

06 Fevereiro 2007 | 14h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.