Instabilidade de ciclone extratropical no Sul atingirá SP e MS

Temporal será mais fraco do que aquele que causou grandes estragos no Rio Grande do Sul e Santa Catarina

Solange Spigliatti, estadao.com.br

03 de junho de 2008 | 16h25

Um novo ciclone extratropical deve atingir a região Sul do País até a noite desta terça-feira, 3, segundo previsão da Climatempo, mas não deve ser forte como o que foi observado em maio, que provocou chuvas torrenciais e ventos de 100 a 120 km/h entre o sul de Santa Catarina e a região de Porto Alegre. Parte da instabilidade deste ciclone vai avançar sobre São Paulo e o Mato Grosso do Sul no decorrer desta tarde e noite, mas a chuva nestes Estados será fraca a moderada. Há possibilidade de trovoadas.     Veja também: Confira o tempo em sua cidade    A área de baixa pressão atmosférica que possibilita a formação do ciclone extratropical já podia ser observada no domingo no Oceano Pacífico, na costa do Chile. As nuvens de chuva da baixa pressão atmosférica começaram a entrar na tarde de segunda-feira, 2, no Rio Grande do Sul. Durante a noite, as nuvens carregadas se espalharam rapidamente sobre este Estado, que amanheceu com tempo chuvoso em praticamente todas as áreas.   A manhã também começou com chuvas em Santa Catarina e nas áreas ao sudoeste e sul do Paraná, bem como no nordeste da Argentina e no sul do Paraguai. Algumas localidades estavam com trovoadas, mas em outras, a chuva caía constante, fraca a moderada.  Outras áreas de nuvens pesadas cresciam no mar, entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, onde devem acumular o maior volume de chuva durante o dia, por conta da presença da baixa pressão atmosférica e da formação do ciclone extratropical.   No início da manhã desta terça-feira, já era possível observar rajadas de vento entre 40 e 60 km/h, de acordo com as medições das estações meteorológicas do Instituto Nacional de Meteorologia.  Mas no decorrer do dia, o vento tende a aumentar de intensidade e algumas rajadas podem chegar perto dos 80 km/h no litoral do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina também nas regiões serranas destes Estados.   Rajadas de vento de até 70 km/h também podem ocorrer na presença das nuvens pesadas que provocam trovoadas. Com o aumento dos ventos no litoral, o mar vai ficando cada vez mais agitado no litoral gaúcho e catarinense. As ondas podem chegar a 2,5 metros, até a noite, em algumas praias.   Pancadas de chuva e muitas nuvens ainda serão observadas na madrugada e pela manhã desta quarta-feira no Estado de São Paulo, incluindo a capital paulista. As nuvens saem de São Paulo durante a tarde e avançam para o Sul de Minas e para o Rio de Janeiro. Os ventos enfraquecem, porém o mar ainda fica agitado. Na quinta-feira, a baixa pressão já estará completamente afastada do Brasil, deslocando-se em alto-mar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.