Integração das polícias é meta do Rio de Janeiro

A governadora do Rio de Janeiro, Benedita da Silva (PT) anunciou oficialmente, na tarde desta segunda-feira, o plano de ações emergenciais para a área da Segurança Pública do Estado. Uma das metas anunciadas é o treinamento de 20 mil policiais em técnicas de abordagem e uso de armas.A integração das ações das polícias Civil e Militar - e em particular de seus serviços de inteligência - é outro dos aspectos principais. A preocupação com os Direitos Humanos também foi lembrada. "Tem que haver respeito ao cidadão, seja no asfalto ou no morro", disse a governadora."Vamos trabalhar na legalidade. Os Direitos Humanos serão protegidos", disse o secretário de Segurança Pública do RJ, Roberto Aguiar. Segundo o secretário, há disponíveis, imediatamente, R$ 18 milhões em verbas do Ministério da Justiça. Ele disse que o gasto total será muito maior, mas que não vai faltar dinheiro para tirar o plano do papel. "Não faremos promessas vãs. Chega de demagogia", disse Aguiar.Foram anunciadas também mudanças no modo de contabilização dos índices de criminalidade, que teriam sido maquiados no governo de Anthony Garotinho (PSB), pré-candidato à presidência da República e antecessor de Benedita.Outros pontos colocados em destaque são o controle interno e externo da polícia e a participação das comunidades, com a ampliação do policiamento comunitário e as "ocupações sociais das favelas". Algumas das novidades já começaram a ser implantadas na área da Grande Tijuca, que inclui os bairros da Tijuca, Andaraí, Vila Isabel e Grajaú, na zona norte do Rio.O reforço do policiamento ostensivo em escolas, hospitais e comunidades onde há conflito, como as favelas da Casa Branca e da Formiga, na Tijuca, começou no dia 26, assim como a alteração das rotinas de serviço das cabines policiais e dos Polígonos de Segurança.No dia 22 começa a ser implantado o policiamento comunitário da Tijuca e do Grajaú. Outras áreas, já escolhidas, serão divulgadas pela governadora no dia 8 de maio. O treinamento de policiais também começará pela Grande Tijuca, no próximo dia 6. Os primeiros policiais a receber os cursos serão os do 6º BPM (Tijuca), 3º BPM (Méier) e 22º BPM (Benfica) e os das Delegacias Policiais correspondentes.Os cursos darão ênfase em técnicas de abordagem, manuseio de armas, tiro policial, uso qualificado da força policial, investigação e perícia criminal e polícia comunitária. Na prática, isso significará a revisão dos currículos e procedimentos operacionais das polícias Civil e Militar.Haverá também uma campanha de esclarecimento à população. Entre as Ações Complementares anunciadas estão as Blitze Eletrônicas, com a instalação de barreiras eletrônicas nas vias onde há registro de altos índices de criminalidade e violência, e o Policiamento Eletrônico.Para este último, será usado o sistema de câmeras da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-RIO) da prefeitura do Rio, que monitora o trânsito da cidade. Um acordo para isso ainda está sendo negociado.

Agencia Estado,

29 de abril de 2002 | 23h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.