Integrante de quadrilha que vendia remédios pela web é preso nos EUA

O universitário Mauro César Fileto Filho foi preso nos Estados Unidos, acusado de ser um braço da quadrilha que vendia medicamentos proibidos pela internet para compradores de várias partes do mundo. A quadrilha foi descoberta na semana passada, quando oito pessoas foram presas, incluindo Fileto Filho, durante a operação Tráfico.Com. A operação foi feita em conjunto pelas polícias do Brasil, EUA e Uruguai.Mantido em sigilo pela PF, o nome de Fileto só vazou nesta quinta-feira, 3. O rapaz, que morava em Atlanta, é filho do procurador-geral do Estado na região de São José o Rio Preto, Mauro César Fileto. Ele foi preso por agentes do DEA, departamento anti-narcóticos dos EUA, e seria o responsável por gerenciar a página do site, cujo provedor era em Hong Kong. Pelo site, eram vendidos os remédios usados como entorpecentes por jovens de várias partes do mundo. As drogas eram enviadas do Brasil. A PF investiga quais redes de farmácia forneciam os medicamentos. A quadrilha era liderada pelo estudante de administração Alessandro Peres Fávaro, de 24 anos, morador em São José do Rio Preto. Segundo a polícia, Fávaro usava contas bancárias de laranjas para receber o dinheiro dos compradores. O dinheiro seria lavado no Uruguai. Fávaro despertou a suspeita da PF depois de adquirir imóveis caros pagando sempre à vista. Ele foi preso numa casa adquirida por R$ 1,2 milhão, num condomínio de alto padrão, em São José do Rio Preto, quando preparava novas remessas de medicamentos que seriam enviadas pelos Correios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.