Integrantes da Força Nacional chegam a Brasília na terça

Procedentes de várias partes do País, começam a chegar nesta terça-feira, 9, a Brasília os integrantes da Força Nacional de Segurança Pública convocados pelo governo federal para ajudar o Rio de Janeiro no combate à onda de ataques desencadeada por facções criminosas no Estado. Ao todo, devem chegar cerca de 500 homens nos próximos dois dias. Eles receberão suas armas e equipamentos, armazenados no paiol do Exército, no Setor Militar Urbano, além de instruções sobre as tarefas que cada equipe vai desempenhar.Devido a problemas logísticos, a chegada da tropa ao Rio, prevista para esta semana, foi adiada para a próxima. Por razões estratégicas, o Ministério da Justiça, ao qual a Força está vinculada, não dá detalhes sobre a data exata em que a tropa desembarcará, nem o tipo de missão a ser deflagrada. Mas é certo que este será o grande teste de fogo da corporação, criada em 2004 para socorrer estados em grave crise de segurança, como alternativa ao emprego das Forças Armadas. Até agora, a tropa só foi acionada três vezes - duas no Espírito Santo e uma no Mato Grosso do Sul.Os integrantes da Força vão atuar inicialmente em 19 pontos de acesso ao Rio, sobretudo na fronteira Sul, na divisa com São Paulo, onde existem vários corredores do tráfico de drogas e armas. À medida que for se aproximando a data dos jogos Pan-Americanos, em junho, a ação da tropa se estenderá até a capital, onde se juntará aos policiais fluminenses no policiamento ostensivo e em ações táticas nos chamados locais de risco, dominados pelo narcotráfico.Eles receberão o apoio de 24 aeronaves adquiridas pelo governo federal em princípio para o esquema de segurança do Pan, mas que serão usadas desde já. São seis helicópteros de multimissão, 8 helicópteros de patrulhamento e 10 motoplanadores. Depois dos jogos, esses aparelhos serão cedidos aos Estados, mediante cláusula que prevê a sua requisição sempre que a Força necessitar.O envio da Força ao Rio, a pedido do governo estadual, estava programado para meados de fevereiro, para reforçar a segurança do Pan, mas o planejamento foi alterado devido às ações de facções criminosas, que provocaram 19 mortes na última semana de dezembro.Criada para ajudar Estados em situação de grave perturbação da ordem, a Força é integrada por 7,8 mil policiais militares e bombeiros, selecionados entre os quadros mais qualificados dos Estados. Todos eles receberam treinamento na Academia Nacional de Polícia Federal, em Brasília, ao longo dos últimos anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.