Integrantes do PCC negam envolvimento na morte de carcereiro

Durante depoimento por videoconferência na tarde desta sexta-feira, 22, Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado como chefe da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), Júlio César Guedes de Moraes, o Julinho Carambola, e Leandro Lopes Badollato, o Toquinho, negaram envolvimento na morte do na morte do carcereiro Elias Pereira Dantas, assassinado no dia 14 de maio último, durante a primeira onda de ataques em São Paulo. Os três foram ouvidos pelo juiz Richard Francisco Chequini, do 1º Tribunal do Júri.Michael do Rosário, o Zara, também acusado no mesmo processo, está foragido e não compareceu à audiência. Segundo informações do Tribunal de Justiça do Estado, o próximo passo do processo será o depoimento de testemunhas de acusação.Marcola e Julinho Carambola permanecem presos em Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) na Penitenciária de Presidente Bernardes, no interior de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.