Interdição de rua

Passo as noites e os dias escutando o barulho incessante da obra do Metrô, realizada bem perto da minha casa. E isso não é nada se comparado com a interdição por um guindaste enorme da rua sem saída Andarico, onde eu moro. Acho uma afronta muito grande! A empresa responsável já interditou uma parte da Rua Cavour justamente para isso, mas sempre há um caminhão descarregando produtos, fechando a Rua Andarico. Espero que essa denúncia possa nos ajudar, e que a empresa não abuse de nós, moradores.MINIA M. B. ARAUJOSão PauloMárcia Borges, da Assessoria de Imprensa da Companhia do Metropolitano de São Paulo, esclarece que as ações com possibilidade de causar impacto à comunidade residente no entorno das obras da Estação Vila Prudente da Linha 2 - Verde são comunicadas com antecedência e só ocorrem com autorização dos órgãos competentes. Neste caso específico, os moradores receberam visitas de representantes da Companhia, que informaram antecipadamente sobre a necessidade do fechamento parcial da via. O procedimento só e executado após liberação do DSV/CET, que autoriza a intervenção na via por meio de documento específico. O Metrô possui uma equipe que realiza o contato com os moradores em todos os eventos que interfiram na rotina do tráfego local ou que possam causar transtorno. Embora tais intervenções ocorram durante a execução de obras dessa magnitude, elas não fazem parte da rotina diária. Esclarece ainda que os equipamentos são removidos todas as vezes em que há necessidade de liberação da via aos moradores.Inspeção às avessasOutra medida do tipo "acredite se quiser" é o programa da Prefeitura de São Paulo para inspecionar os carros quanto às emissões de poluentes que exclui os mais antigos (pré-2003) - justamente os que mais poluem! Estão brincando conosco! Ministério Público Estadual: aja contra essa sem-vergonhice, não fuja ao seu dever!BOB SHARPSão PauloFoi muito triste ler o que informou o secretário do Verde e do Meio Ambiente, na Coluna de 5/1. Quer dizer que foram constatados dois problemas graves em 2008, e um deles diz respeito à ilegalidade de 20% a 30% da frota mais antiga que circula pela cidade? E já que são ilegais, não comparecem às inspeções. O fato é que os cidadãos que procuram manter o carro regulado são punidos.REGINA A. M. M. VAN DE GRAAFSão PauloA Assessora de Comunicação da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, Mônica Ribeiro, informa que em 2009 veículos anteriores ao ano de 2003 serão alvo preferencial do sensoriamento remoto, sistema que mede as emissões dos carros em movimento, e os mais poluentes serão intimados a fazer a inspeção ainda este ano. Em 2010 a inspeção se estenderá a todos os veículos registrados na cidade. Viadutos abandonadosHá anos alerto sobre o perigo de incêndio de materiais depositados embaixo de viadutos da cidade, principalmente no do Glicério. Os incêndios prejudicam a vida de milhares de pessoas pelo fato de o viaduto ter de ser interditado e o contribuinte precisar fazer um caminho mais longo para chegar ao destino. Já enviei diversos e-mails aos vereadores e nada foi feito.ANTONIO JOSÉ G. MARQUESSão PauloO subprefeito da Sé, Amauri Luiz Pastorello, diz que a Subprefeitura tem dado atenção especial à região do Glicério e tem conhecimento do problema gerado pela triagem de material reciclável feita em condições inadequadas sob o viaduto. Para resolvê-lo a Subprefeitura finaliza a implantação de uma unidade de triagem e comercialização de material reciclável, que começa a funcionar até o final deste mês. A limpeza das ruas do entorno é feita pelo menos cinco vezes ao dia. Esclarecimento: Em resposta à carta publicada na Coluna em 2/12, do sr. Renato V. Mello, a empresa High Soccer esclarece que a reclamação apresentada pelo leitor, de que o Psiu não teria atendido a seus chamados, não é a verdadeira. Com efeito, o Psiu atendeu a seus reclamos e, no local, constatou, por diversas vezes, a inexistência de barulho excessivo. Apenas em uma das oportunidades constatou o contrário. Mas tal excesso de barulho provavelmente não se devia à empresa High Soccer, mas às diversas atividades que ocorriam simultaneamente na região. Isso fora reconhecido pela Justiça e por laudo técnico de profissional especializado. É importante destacar que a empresa High Soccer opera no local há anos, convivendo, até então, em perfeita harmonia com seus vizinhos. JOAQUIM DE CARVALHOAs cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.