Interditadas por obras do metrô, casas são liberadas

Os moradores das cinco casas da Vila Prudente, na zona leste, que precisaram ser interditadas por causa dos trabalhos de expansão da Linha 2-Verde do Metrô podem voltar para suas casas desde a noite de ontem, segundo a empresa Odebrecht, responsável pela obra. As famílias foram retiradas das casas e instaladas em um hotel na terça-feira da semana passada, por questões de segurança. Um desnivelamento do terreno entre as Ruas Pires de Pimentel e Oliveira Gouveia colocou em risco as estruturas. De acordo com a empreiteira, não houve deslocamento de terra e a retirada das famílias ocorreu de forma preventiva. Uma equipe de engenheiros foi enviada ao local na manhã de ontem para avaliar as condições do terreno. Os moradores contaram que a área havia cedido e as obras provocaram rachaduras nas paredes das casas vizinhas. Algumas residências tiveram azulejos quebrados pela movimentação do terreno. Para evitar que o teto das residências desabasse, a construtora pôs pedaços de madeira em cômodos. A escavação do terreno acabou paralisada após o desnivelamento e as obras só foram retomadas na madrugada de ontem. As casas foram liberadas à noite e todas as famílias poderiam retornar às residências. Segundo a Odebrecht, o terreno não apresenta novos riscos e a situação foi controlada - o mesmo foi dito pelo Metrô.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.