Internos da Febem são transferidos para presídios de SP

Apesar de o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) determinar o cumprimento de pena na Febem a maiores de 18 anos que tenham cometido infrações antes dessa idade, desde esta quarta-feira há 244 jovens nessas condições em presídios do Estado.Eles fazem parte do grupo de 426 internos, a maioria de alta periculosidade, que estava na Unidade 30, em Franco da Rocha. O local, destruído em rebelião nesta terça-feira, foi palco da fuga de 121 adolescentes no sábado.A remoção ainda não foi autorizada pela Justiça, embora o pedido já tenha sido encaminhado ao juiz-corregedor Luis Elias Tâmbara.Houve, porém, acordo informal após a discussão do assunto entre representantes do governo do Estado e do Tribunal de Justiça (TJ). O presidente do tribunal, Sérgio Augusto Nigro Conceição, já se mostrou favorável à adoção de medidas mais rigorosas para internos acima dos 18 anos.Sessenta e seis jovens foram encaminhados para o Anexo da Casa de Custódia de Taubaté, penitenciária considerada de segurança máxima. Os demais foram removidos para Centros de Detenção Provisória (CDPs) de Avaré (112 internos), Hortolândia (49) e Suzano (17).

Agencia Estado,

16 de abril de 2003 | 22h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.