Internos rebelados da Febem fizeram 26 reféns

A rebelião no Complexo Tatuapé da Fundação Estadual para o Bem-Estar do Menor (Febem), na zona leste de São Paulo, deixou pelo menos cinco adolescentes feridos e fez 26 funcionários reféns. Segundo a assessoria da instituição, o número de jovens feridos deve aumentar, pois a contagem ainda não foi finalizada. O motim, iniciado às 21 horas desta terça-feira, 4, foi contido na manhã desta quarta, 5, quando policiais da Tropa de Choque da Polícia Militar entraram no complexo.Cinco dos 26 funcionários feitos reféns foram encaminhados para atendimento médico com escoriações. Todos eles inalaram grande quantidade de fumaça, causada pelo incêndio de colchões, e alguns ficaram extremamente nervosos com a situação. Segundo informou a assessoria da instituição, apenas um funcionário ficou gravemente ferido. Ele pulou o muro do complexo para não ser feito refém e acabou quebrando uma perna.Os policiais usaram helicópteros para descer no telhado da instituição dando tiros de advertência. Um policial acabou caindo e se ferindo. Os internos foram dominados e colocados sentados no pátio. Dos cinco adolescentes feridos, um quebrou o braço e outros dois foram feridos com tiros de bala de borracha.A Tropa de Choque continua no prédio, auxiliando os funcionários da instituição a fazerem a contagem dos menores, para verificar se ocorreu alguma fuga durante a rebelião. O Complexo, que tem 23 unidades, sendo que apenas 15 estão funcionando, abriga 1.200 adolescentes. BrigaA rebelião atingiu principalmente as alas 1, 5, 12, 14 e 23, onde estão abrigados menores de maior periculosidade. O motim começou quando dois menores da ala 12 iniciaram uma briga, que acabou se generalizando pelo complexo. Os adolescentes subiram nos telhados e atearam fogo em colchões e foi necessária a presença dos bombeiros na unidade. Uma hora e meia após o início do motim, os menores tentaram uma fuga, mas foram impedidos por policiais da 4ª Companhia do 8º Batalhão, que cercaram o complexo. Cada uma das alas da Febem Tatuapé abriga entre 80 e 100 menores.Desativação Na semana passada, quando ainda era governador do Estado, Geraldo Alckmin participou do início do processo de desativação do complexo Tatuapé da Febem. O espaço será transformado em parque. O ex-governador informou que o parque será implementado em duas etapas. A primeira fase está localizada na área que fica de frente para a Avenida Celso Garcia e ao lado da Polícia Militar. A previsão é que a demolição da unidade seja concluída em 90 dias e a construção do parque, em fase de licitação, deve começar em junho. O novo modelo que o governo do Estado quer para a Febem é o baseado na descentralização, com unidades pequenas, construídas de preferência nas cidades de origem dos jovens e onde possam ser aplicadas medidas socioeducativas. As visitas dos pais aos menores infratores ficaria muito mais facilitada.Matéria atualizada às 14 horas, para correção do número de agentes feridos

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.