Intoxicação contagiou 70 pessoas no sul da Bahia

Cerca de 70 pessoas foram atendidas em hospitais e postos de saúde do extremo sul baiano, apresentando sintomas de intoxicação. Os laboratórios centrais da Bahia e de Pernambuco estão analisando mostras da água do mar e de algas do litoral de Santa Cruz Cabrália, na região do Descobrimento, onde foi registrado o maior número de vítimas. A maioria dos intoxicados é de barraqueiros, banhistas e índios da tribo pataxó, que estavam em um trecho de três quilômetros entre as praias de Mutá, em Porto Seguro, e Coroa Vermelha, Santa Cruz Cabrália. As pessoas intoxicadas apresentam febre alta, irritação nos olhos e dores de garganta. Pelos sintomas, os técnicos da Vigilância Epidemiológica admitem também que o surto pode ser causado por vazamento de gás. Embora ainda não saibam qual o agente causador da intoxicação, os técnicos da Secretaria da Saúde da Bahia não têm dúvida de que a substância é transmitida pelo ar, nos momentos em que o vento sopra do mar para o continente. A Marinha intensificou as buscas para tentar localizar o foco causador do surto, mas até o início da tarde, conseguiu apenas colher mostras de algas e água do mar para análise. Os laboratórios estão realizando também exames de sangue e de urina de pacientes atendidos no Hospital José Maria Magalhães Neto, em Cabrália.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.