J. F. Diorio/Estadão
J. F. Diorio/Estadão

Inverno começa com frio e chuva, mas deve ser mais ameno do que o de 2016

El Niño e La Niña não atingem o Brasil neste ano, segundo meteorologistas; tendência é de frentes frias de curta duração

Bibiana Borba, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2017 | 10h19

SÃO PAULO - O inverno começou à 1h24 da madrugada desta quarta-feira, 21, com características típicas da estação na maior parte do País. O frio intenso se mantém no Sul e mais moderado no Sudeste e no Centro-Oeste, causado pela massa de ar polar que derruba as temperaturas desde o início da semana.

Na primeira manhã de inverno, os termômetros marcam em torno de 10ºC em Porto Alegre, 12ºC em Curitiba, 15ºC em São Paulo, 19ºC em Campo Grande e 20ºC no Rio de Janeiro. A chuva que atinge o Sudeste, com maior intensidade no Rio, também deixa a sensação térmica mais baixa. O clima desta semana passa a impressão de um inverno rigoroso mas, segundo os meteorologistas, a tendência é de que o frio e as chuvas sejam menos intensos do que no ano passado.

Ao contrário dos anos anteriores, 2017 não tem influência dos fenômenos El Niño ou La Niña. A previsão do Climatempo é de que o frio seja menos intenso do que no ano passado, quando o Brasil estava sob efeito do El Niño. Também não há previsão de calor atípico, como ocorreu em 2015 e 2014 no período.

Até o final da estação, algumas frentes frias de curta duração devem provocar frio dentro da média dos Estados do Centro-Sul. No Sudeste, depois do começo do inverno chuvoso, a tendência é de clima mais seco até setembro. O Sul deve ser a região mais atingida por chuvas fortes.

O litoral do Nordeste também deve ter períodos de chuva intensa, enquanto o interior nordestino e o Norte do País devem registrar o calor intenso e seca típicos da estação. Períodos de friagem podem chegar às regiões do Acre, sul do Amazonas e Rondônia, segundo o Climatempo. O inverno no Brasil termina oficialmente no dia 22 de setembro deste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.