Inverno começa hoje às 21h57

O inverno brasileiro começa às 21h57 de hoje, sem El Niño ou La Niña. Com a ausência desses fenômenos que provocam o aquecimento ou o resfriamento das águas do Pacífico equatorial - aumentando as temperaturas no Brasil - a nova estação deve ter comportamento climatológico normal: frio e seco.De acordo com o meteorologista da empresa Climatempo, Alexandre Nascimento, com o El Niño e La Niña se alternando nos últimos invernos, os eventos frios foram poucos e as temperaturas ficaram mais elevadas. Registros do Instituto Nacional de Meteorologia mostram que o último inverno mais rigoroso foi em 1990, com um grau abaixo da média padrão. Na capital paulista, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, em junho, a média das mínimas é de 12,1 graus e das máximas de 22 graus. Em julho, baixam para 11,3 e 21,9 graus, subindo novamente em agosto para 12,4 e 23,6 graus. Em setembro, a média é de 13,7 e 24,2 graus.A expectativa de Nascimento para este inverno é de que se formem pelo menos três fortes ondas de frio nos próximos meses, intercaladas com períodos de temperaturas mais amenas.Nessa época, é normal a formação de nevoeiros no início da manhã por causa das temperaturas mais baixas que condensam a umidade. Outra característica da estação é a ocorrência da inversão térmica - camada de ar frio seguida por outra de ar quente - mais perto do solo, dificultando a dispersão dos poluentes sobre os centros urbanos principalmente em dias com céu aberto e vento fraco.Dependendo da trajetória e da intensidade das massas de ar de origem polar que acompanham as instabilidades das frente frias, forma-se geada no Centro-Sul, neva nos trechos mais altos do Sul do Brasil e ocorre friagem no sul da região amazônica. Além disso, as frentes também podem vir acompanhadas de ciclones extratropicais até o fim de setembro, deixando o mar bastante agitado, com ressacas no litoral do Sul e do Sudeste.SolstícioO solstício de inverno é um acontecimento astronômico que determina, no Hemisfério Sul, o maior distanciamento do Sol da linha do Equador - é o instante em que o Sol está mais ao norte no Hemisfério Norte. Com isso, ocorre a noite mais longa do ano, que na Grande São Paulo terá a duração de 13 horas e 18 minutos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.