Inverno promete clima seco e temperaturas acima da média em São Paulo

Em pleno veranico, o inverno começou às 9h26 desta quarta-feira, 21. Mais uma vez, a tendência para a nova estação é de clima seco e temperaturas um pouco acima das médias históricas em São Paulo, com algumas quedas acentuadas de mínimas e picos ocasionais de máximas. Este inverno promete mais frio e chuva que o do ano passado, quando o calor seco nos primeiros meses foi atípico, superando em quase dois graus as médias normais das temperaturas, segundo a Meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) Ana Beatriz Porto. Em julho, a média é de 11,4 graus para as mínimas e de 22 graus para as máximas, com 39,6 milímetros de chuva. Sem chuva desde o dia 24 de maio no Inmet, no Mirante de Santana, na zona norte, e nenhuma onda de frio intenso chegando, o meteorologista da empresa Climatempo André Madeira avisa que uma frente fria até tenta furar o bloqueio da grande massa de ar seco sobre o Sudeste, mas só vai conseguir fechar um pouco o tempo no sul do Estado nesta tarde, antes de ser desviada para o mar. Hoje, as temperaturas ficam entre 12 e 26 graus na capital, 12 e 27 no litoral e 4 e 20 em Campos do Jordão. Faz 30 graus na região noroeste, com mínima de 14 graus. Com a ausência de fenômenos como o El Niño e La Niña - que aquecem ou resfriam as águas do Pacífico equatorial - o inverno terá as situações normais da estação. Como o nevoeiro, que se forma quando o frio da madrugada condensa a alta umidade que se mantém até as primeiras horas da manhã. Outra situação comum da estação é a inversão térmica em baixa altitude, já que nessa época é comum a camada de ar frio se formar numa distância de apenas 200 metros do chão, seguida por outra camada de ar quente que, como uma tampa, dificulta a dispersão dos poluentes sobre os grandes centros urbanos. Dependendo da trajetória e da intensidade das massa de ar polar, que acompanham as áreas de instabilidade das frentes frias , são esperadas geadas no Centro-Sul e neve nos trechos mais altos do Sul do País. A friagem vai atingir mais algumas vezes o sul da região amazônica, baixando os termômetros. Até o começo da primavera, em 23 de setembro, algumas das frentes frias também virão acompanhadas de ciclones extratropicais, que costumam agitar o mar do Sul e do Sudeste, provocando ressacas. SaúdeCom o clima seco, doenças como asma, bronquite e sinusite podem afetar mais os paulistanos. Só no PS do Hospital do Servidor Público Estadual, por exemplo, nesta época aumenta em 40% o número de pacientes com problemas respiratórios. "O nariz e a pele, considerados a porta de entrada dos vírus e bactérias, ficam com dificuldade de filtrar as impurezas. Por isso, a ocorrência de doenças respiratórias, gripes, resfriados e até alergias aumenta bastante", afirmou o coordenador científico do PS do Hospital do Servidor, Valério Marcelo Vasconcelos. O médico explicou ainda que a pessoa que já possui histórico de asma ou bronquite fica mais vulnerável nesse período. "Nos meses de junho e julho, aumentam também as crises asmáticas e dos brônquios. Quem já sofre com esses problemas deve redobrar a atenção", contou Vasconcelos. Um estudo da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) revelou que, na Grande São Paulo, a principal fonte de poluição atmosférica são os automóveis. Por esse motivo, a partir de hoje, a Cetesb começa a "Operação Inverno 2006". "Os veículos são os grandes responsáveis por deixar o clima seco. Durante todo inverno, vamos distribuir folhetos e conscientizar o motorista sobre as medidas preventivas que podem melhorar o ar da Capital, como manter o carro em ordem e utilizar combustíveis de qualidade", falou o gerente da Cetesb, Carlos Eduardo Komatsu. Além de cuidar do carro, outras medidas simples também evitam os problemas respiratórios. Vejas as dicas para se prevenir dos perigos da poluição e do clima seco:- Tome bastante líquido para hidratar o corpo- Mantenha a higiene doméstica, evitando o acúmulo de poeira- Durma em local arejado e umedecido, deixando bacias com água ou toalhas molhadas no cômodo- Planeje as atividades físicas para o fim da tarde - Proteja-se da exposição ao sol no período entre 10 e 17 horas- Evite banhos com água muito quente para não ressecar a pele - Use soro fisiológico para olhos e narinas, em caso de irritação - Evite exposição prolongada a ambientes com ar condicionado- Pacientes com bronquite e rinite costumam ter crises. É importante procurar um médico e seguir suas recomendações

Agencia Estado,

21 de junho de 2006 | 11h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.