Investigação da morte de juiz leva 20 a prisão no ES

Em uma grande operação, a polícia do Espírito Santo prendeu hoje 20 integrantes da quadrilha do pistoleiro Odessi Martins da Silva Júnior, o Lombrigão, principal acusado pelo assassinato do juiz-corregedor Alexandre Martins de Castro Filho. No total, 30 pessoas foram detidas, mas dez foram liberadas. Lombrigão continua foragido.O número de presos foi informado pelo delegado Danilo Bahiense, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que apura o caso. Ele afirmou que os criminosos estão envolvidos em execuções, tráfico de drogas e assaltos a bancos. Havia mandados de prisão contra todos eles. "Com essas prisões vamos elucidar vários crimes", disse o policial. A possível ligação desses homens com a morte do juiz está sendo investigada. O delegado não revelou o teor dos depoimentos dos suspeitos porque o caso está sob segredo judicial.As prisões aconteceram na manhã de hoje em duas localidades: Garanhuns, em Vila Velha, e Nova Venécia, a cerca de 200 quilômetros de Vitória. Os que estavam em Nova Venécia são de Garanhuns, mas estavam escondidos na fazenda de um traficante conhecido como Fernando Cabeção, já preso. Um deles é condenado a seis anos de prisão por assalto.Bahiense disse que a captura de Lombrigão é uma "questão de tempo". "Estamos trabalhando intensamente para prendê-lo. Nossa equipe está na rua", afirmou o delegado, que destacou o apoio da PM, da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (Draco) e do Ministério Público. Só a Polícia Civil mobilizou mais de cem agentes para a operação de hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.