Investigação de morte de milionário aponta contradições

O delegado de Rio Bonito, Ademir da Silva, que investiga o assassinato do milionário da Mega Sena René Senna, ouviu nesta segunda-feira quatro irmãos e um cunhado da vítima. Segundo o delegado, a família negou as afirmações da viúva Adriana Almeida, segundo quem Senna desconfiava se era mesmo o pai de Renata Senna, sua única filha de um casamento anterior. "Há uma contradição forte entre o depoimento da viúva e dos familiares", afirmou Ademir. O delegado vai chamar nos próximos dias outro irmão de Senna, Alcimar Santos, que disse ter ouvido do irmão milionário confissões de que o casamento com Adriana havia acabado dois meses atrás. A partir desta terça-feira, o delegado interroga os seguranças de Senna, que não estavam com ele no momento em que dois homens fizeram cinco disparos contra o ex-lavrador, que teve as duas pernas amputadas em decorrência da diabetes. O delegado confirmou que ouviu informações de que Adriana e um dos seguranças estavam se relacionando. "Mas são apenas boatos, e eu preciso de provas", afirmou.

Agencia Estado,

15 de janeiro de 2007 | 21h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.