Investigador é baleado ao defender cunhado agente penitenciário

O investigador de polícia João Soares está internado no pronto-socorro do Hospital São Luiz Gonzaga, no Jaçanã, na zona norte da capital. Ele foi baleado na madrugada deste sábado, quando defendia seu cunhado, o agente penitenciário João Nunes Dourado Jr., que foi abordados por dois homens dizendo serem policiais civis e que tomaram sua pistola de calibre 38. Houve troca de tiros e Soares acredita que atingiu pelo menos um dos dois.O fato aconteceu na madrugada. Segundo João Nunes, um automóvel Gol verde parou e os dois homens desceram afirmando serem policiais civis e ordenando que lhes entregasse sua arma. Ele alegou que a pistola está registrada e que ele, agente penitenciário, tem porte, mas a dupla não aceitou a explicação e tomou-lhe a arma.Foi nesse momento que ele chamou o cunhado João Soares e como a dupla insistisse ser policial ele exigiu que apresentassem suas carteiras funcionais. Foi nesse momento que se iniciou o tiroteio. Soares foi atingido por, pelo menos, dois projéteis. O cunhado saiu ileso. Os agressores fugiram no veículo em que chegaram, levando a arma do agente penitenciário. Um deles pode estar baleado, mas até o final da madrugada nenhum suspeito havia dado entrada em hospitais da região.

Agencia Estado,

07 de outubro de 2006 | 07h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.