Investigador é morto a tiros por garoto de 14 anos

O investigador do Departamento de Homicídios, Paulo Cesar Stricagnolo, de 37 anos, trocou tiros com dois adolescentes e acabou atingido nos braços e no peito, morrendo a caminho do hospital. Stricagnolo foi abordado pelos rapazes, que estavam em uma motocicleta, na zona leste da cidade, quando começou a troca de tiros. O investigador atingiu um dos adolescentes no pescoço. Ele está internado na UTI do Hospital Geral de São Mateus.Tanto o investigador quanto o ladrão portavam pistola Ponto 40. Paulo havia parado o veículo para fazer um contorno, quando a motocicleta aproximou-se e o adolescente Leonardo Bezerra Pintão, o "Poeirinha", que estava na garupa da moto, desceu e, de arma em punho, já foi abrindo a porta do Santana. O policial estava descendo, também empunhando a pistola que estava às suas costas. A troca de tiros foi imediata. E, ao vê-los caídos, o piloto apanhou as duas pistolas e fugiu na motocicleta.Uma pessoa que estava numa panificadora em frente ao local chamou a polícia. Uma viatura seguiu para lá e socorreu o investigador, levando-o ao Hospital Geral, onde ele já chegou morto. Três garotos, que estavam de passagem, reconheceram "Poeirinha" e foram detidos como suspeitos de serem comparsas do ladrão. Mas eles convenceram os policiais de que não estavam envolvidos no crime. Eles moram na Favela do Jardim Elba, a mesma em reside o jovem infrator e seu comparsa, identificado como Thiago. A polícia já conseguiu a qualificação completa de Thiago, que tem 15 anos, mas não conseguiu localizá-lo. Se sobreviver, "Poeirinha" será ouvido em sindicância e deverá ser encaminhado à Febem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.