Investigadores do ES fazem paralisação de 24 horas

Os 96 Investigadores da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil do Espírito Santos cruzaram os braços por 24 horas nesta terça-feira, 24, em protesto contra as péssimas condições de trabalho da categoria. De acordo com o presidente da Associação dos investigadores da Polícia Civil (Assinpol), Júnior Fialho "a situação beira ao absurdo" e policiais estariam recebendo multas nos distritos por conta de excesso de velocidade de viaturas quando estavam a serviço. "Além desta situação cômica, 14 mil inquéritos estão parados por falta de investigadores e de viaturas para as diligências. Um micro-ônibus é usado como carceragem provisória no pátio da DHPP, mas os policiais não recebem o adicional previsto em Lei para vigiar os presos", declarou Fialho. O sindicalista disse que o governo estadual até agora não realizou um novo convênio com oficinas mecânicas para manutenção da frota de viaturas e muitos veículos estão parados por problemas simples e de baixo orçamento. Na tarde de terça-feira, representantes dos policiais se reuniram com a cúpula da Polícia Civil capixaba. "Foi uma reunião positiva, mas queremos que as boas intenções se concretizem", afirmou o presidente da Assinpol, que manteve uma outra paralisação marcada para o dia 3 de maio. Por meio de uma nota à imprensa, a Chefia de Polícia do Espírito Santo reconheceu que algumas viaturas estão paradas por problemas técnicos e informou que aguarda parecer de órgãos de controle do Estado para realização do processo de licitação para contratação das novas empresas de manutenção de veículos, mas, em caráter de urgência, vai liberar R$ 8 mil para o conserto das viaturas com problemas mecânicos de baixo custo. A Polícia Civil informou, ainda, que a Chefia vai fazer uma diligência junto aos órgãos responsáveis, com base nas leis de trânsito, para discutir alguns casos de multas e ficou de avaliar a remuneração extra par a os policiais civis que vigiam as pessoas detidas dentro do microônibus.

Agencia Estado,

24 Abril 2007 | 20h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.