Investigadores tentam identificar motoqueiros que atiraram em juíza

Chefe da Polícia Civil está na sede da Divisão de Homicídios para acompanhar investigações

Pedro Dantas, O Estado de S. Paulo

17 Agosto 2011 | 11h31

RIO - A chefe da Polícia Civil, delegada Martha Rocha, chegou à sede da Divisão de Homicídios no final da manhã desta quarta-feira, 17, para acompanhar as investigações sobre a morte da juíza Patrícia Acioli, assassinada na quinta-feira, com 21 tiros, na porta de casa. Imagens gravadas pelas câmeras do Fórum de São Gonçalo confirmaram que a magistrada foi emboscada e sofreu uma tocaia na porta do prédio, onde trabalhava como titular da 4ª Vara Criminal.

 

Os investigadores trabalham na identificação dos dois motoqueiros que usavam capacetes e são os supostos autores dos disparos contra a vítima. Três juízes da comissão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) também estão na DH, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, para acompanhar a apuração do crime.

 

Veja também:

link Juíza avisou TJ sobre ameaças, diz família

linkPara família, quadrilha a ser julgada cometeu crime

linkFOTOS: Parentes e amigos protestam contra morte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.