Investigados pela execução de coronel têm prisão renovada

Dois dos policiais investigados pela morte do coronel José Hermínio Rodrigues, que comandava o policiamento da zona norte de São Paulo, tiveram suas prisões renovadas pelo 2º Tribunal do Júri. São o soldado Pascoal dos Santos Lima e o sargento Ricardo da Rocha Benetti. Ao mesmo tempo, foi decretada a prisão preventiva do sargento Helber Antônio de Freitas sob a acusação de ter tentado assassinar o traficante de drogas J.V.S.Freitas nega a acusação e diz ter um álibi para o crime - ele estaria na companhia de outras seis pessoas quando o traficante foi alvejado. Ele é ainda suspeito, ao lado do sargento Benetti e do soldado Pascoal, de ter assassinado, em setembro de 2007, a mãe do traficante, Marisa Ferreira Vaz.Os dois crimes teriam como motivo o fato de o traficante não querer pagar propina aos PMs. Benetti e Pascoal são ainda suspeitos de participar de chacinas na zona norte, ao lado de outros PMs. Pascoal tem uma moto Honda Falcon igual à usada pelo bandido que assassinou o coronel Hermínio no dia 16 de janeiro, na Avenida Engenheiro Caetano Álvares, no Mandaqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.