Investimento em segurança pode chegar a R$ 200 milhões em SP

Os investimentos em segurança pública no próximo ano podem chegar a R$ 200 milhões. A informação é do secretário da Segurança Pública de São Paulo, Marco Vinicio Petrelluzzi.Na proposta de Orçamento enviada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) à Assembléia Legislativa estava prevista verba quase três vezes maior em 2002 (R$ 133 milhões) do que a deste ano (R$ 46 milhões).O aumento pode ser superior porque o secretário espera contar com recursos do Plano Nacional de Segurança Pública, do Ministério da Justiça, e da venda de ativos do Estado."Ampliar o orçamento da segurança pública manifesta a intenção do governo de dar prioridade à área", disse Petrelluzzi.Além de mais investimentos para o setor, a disposição do governo também é demonstrada, segundo o secretário, pelo fato de o governador ter autorizado contratações. Foi a única secretaria a contar com o benefício.Cerca de 90% do orçamento de R$ 4,8 bilhões reservado para a segurança em 2002 deverá ser gasto com o pagamento de salários de funcionários ativos e inativos.O secretário afirmou que serão feitos investimentos para melhorar o atendimento à população nas delegacias de polícia, além da compra de carros e equipamentos. "Estamos modernizando os arquivos do IIRGD (Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt)."O IIRGD mantém arquivo com mais de 15 milhões de impressões digitais de carteiras de identidade tiradas no Estado. Seu catálogo é manual. A idéia é informatizá-lo para que a base de dados possa ajudar de forma mais eficiente o trabalho de investigação policial.O governo ainda vai investir em polícia comunitária (R$ 62 milhões) e em segurança escolar. O dinheiro reservado para esta última área cresceu de R$ 700 mil para R$ 15 milhões. No caso do policiamento comunitário, Petrelluzzi defende a criação de mais bases móveis do que fixas.Caso chegue aos R$ 200 milhões em investimentos, a secretaria gastará um valor próximo daquele defendido pela oposição na Assembléia.O deputado Renato Simões (PT) diz que o governo pode empregar na área até R$ 250 milhões, incluindo o possível repasse de verba do governo federal. "Os investimentos em 2002 serão maiores porque os recursos globais do Estado também o serão."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.