Irmã de menino morto no Rio pede consciência aos políticos

A irmã do menino João Hélio Fernandes, de 6 anos, Aline, divulgou neste domingo uma carta em que pede consciência aos políticos. Um trecho da carta foi lido durante entrevista dos pais do menino no programa Fantástico, da TV Globo. João Hélio foi arrastado até a morte, preso pelo cinto de segurança do carro, depois que os assaltantes roubaram o carro de sua mãe, Rosa Cristina Fernandes, na zona norte do Rio. O crime causou comoção nacional. Leia abaixo a íntegra da carta de Aline: "Socorro! Cadê a justiça? Ele é de menor? Eu sei. Eu também sou, e meu bebê também era. Na hora que esse ´menor´ apontou a arma pra minha cabeça e arrastou meu bebê até a morte ele foi muito adulto. Agora é muito fácil pra ele ser tratado como uma criança, quando na verdade ele foi um monstro cruel e sem coração. Ele deve ser tratado como adulto! Olha pra mim. O que você vê? Uma mulher e não uma criança. Eu sei o que faço e procuro agir de maneira correta. Tenho 14 anos e estou péssima. Minha família está sem chão, o Rio emocionado e o Brasil revoltado. Se essa não é a hora da mudança, quando será? Quando acontecer novamente? Quando mais uma vida for tirada por um homem de 16 anos? E o pior é que ele só vai passar 3 anos de sua vida dentro de um centro de recuperação. É muito fácil garotos como ele cometerem crimes bárbaros, sabendo que praticamente nada acontecerá com eles, que a justiça não será feita. O presidente e outros políticos que não estão de acordo, dos 2 um: ou eles não tem filhos , ou eles não tem alma. Eles andam cercados de seguranças e permitem que esses crimes aconteçam. Não queremos aparecer, não queremos vingança, queremos apenas Justiça. Brasília acorda!!! O principal assassino Diego, disse que não sabe o que é sentir a perda de um filho porque não tem um, mas além de não ter filho não tem coração. O Brasil está em fúria, pena de morte não resolve, eu desejo Justiça rigorosa e para os políticos eu peço consciência, que é hora de mudar. Ao pai de Diego, eu agradeço de todo o meu coração, porque ele sim, é um cidadão de bem, que teve uma atitude corajosa e digna de um ser humano. Obrigado Brasil pelo conforto e pela solidariedade comigo e com minha família. Aonde quer que nosso anjinho esteja ele sabe que é muito amado, mas agora ele está melhor que todos nós aqui. Peço a colaboração de todo o Brasil para que assinem o abaixo assinado para a redução da maioridade penal e que participem da comunidade do Orkut: JOÃOZINHO PEDE JUSTIÇA. Conto com a ajuda de todos. Aline"

Agencia Estado,

11 Fevereiro 2007 | 20h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.