Irmão de ex-piloto morreu após tentativa de assalto

O empresário Oscar Henrique de Mesquita Boesel, 39 anos, irmão do ex-piloto de fórmula Indy, Raul Boesel, foi assassinado hoje, em São Paulo, por dois ladrões que tentaram roubar sua perua Honda, no cruzamento das avenidas Santo Amaro e Água Espraiada, no Brooklin, zona Sul. Ferido com um tiro na nuca, Oscar foi levado para o Hospital Evaldo Foz, onde morreu. Ele seguia pela pista centro-bairro da avenida Santo Amaro. No cruzamento com a avenida Água Espraiada, parou sua perua Honda, com placas de Assuncion Paraguai, 191483, já que o sinal havia fechado. No banco de trás ele levava um filhote de labrador. Eram 15h05, quando dois jovens, aparentando serem menores de idade, se aproximaram e anunciaram que era um assalto. Oscar, que era surdo e tinha dificuldades para se expressar, provavemente não entendeu o que os ladrões disseram. Sem que o empresário esboçasse qualquer reação, um dos assaltantes disparou seu revólver. O projétil entrou próximo à orelha esquerda e foi alojar-se do outro lado do rosto, depois de atingir possivelmente a veia jugular. O empresário desmaiou. Desgovernado, o veículo desceu a avenida Santo Amaro e foi bater no poste que sustentava o semáforo, segundo testemunhas. Os ladrões fugiram a pé pela avenida. "Ouvi um tiro e, quando a perua bateu no semáforo, disse para uma amiga que o caso era grave", declarou o vendedor de bebidas Otacilio Fiuza Moltocaro, de 48 anos, que aguardava a condução em um ponto de ônibus. "Corri para ajudar, mas saía muito sangue do ferimento" disse o vendedor. Em seguida o empresário foi levado para o hospital. Oscar morava na Rua Rouxinol, no bairro de Moema, e seu irmão Raul encontra-se em Miami, EUA. Um outro irmão mora em Brasília. Seus amigos em São Paulo estavam encontrando dificuldades para informar a família, já que o pai se restabelece de uma recente cirurgia cárdiaca. Policias do 27º DP, no Campo Belo, do DHPP e do GOE - Grupo de Operações Especiais, vasculhavam, a noite a região acompanhados de testemunhas na esperança de identificar e prender os assassinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.