Irmão de Lula confirma voto em Alckmin

O mestre de obras Jackson Inácio da Silva, irmão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, confirmou neste domingo que votou em Geraldo Alckmin (PSDB) para presidente, em sua seção eleitoral na Baixada Santista. "Fui de 45, de renovação", respondeu ele, por volta das 16h30, ao ser questionado por um conhecido ao deixar seu local de votação, em Mongaguá, no litoral sul paulista.Jackson não poupou críticas ao governo Lula. "Ele deveria ao menos ter cumprido o que prometeu, falou que investiria no social, mas eu não vi nada disso". Pai de três filhos, um arquiteto e dois universitários, ele também criticou a educação e a saúde. "O PROUNI é só propaganda e a saúde não funciona, quando você precisa do SUS, só te dão benzetacil e insulina".No entanto, o irmão de Lula - que já tentou eleger-se vereador na cidade pelo PT - declarou que a sua aversão à política surgiu a partir das primeiras denúncias de corrupção no governo. "Foi quando Roberto Jefferson veio com a história do Mensalão. O PT não poderia ter feito isso. Quem não roubou foi conivente, omisso". Não a ingenuidadeJackson também critica o fato de Lula ter dito que não sabia. "Isso não existe, não sabia e continuou não sabendo depois que as provas foram aparecendo? Político não pode ser ingênuo".Quando questionado sobre as crises familiares que a declaração do seu voto poderia causar, Jackson frisa que não fez campanha para Alckmin e ficou bravo quando seus irmãos perguntaram quanto ele tinha ganhado para anunciar sua opção. "Tentaram me convencer a mudar de opinião, mas sempre fui contra a reeleição e eles sabem disso".Neste domingo, Jackson disse que teve um dia como outro qualquer. Acordou cedo e foi para sua chácara na área rural da cidade. Lá, cortou a grama e preparou um churrasquinho para a família. Saiu às 16 horas para ir votar, no centro da cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.