Irmão do radialista e humorista Mução é preso em Fortaleza

Bruno Vieira Emereciano confessou que se passou por seu irmão ao compartilhar fotos e material de pedofilia na internet

Lauriberto Braga, Especial para O Estado de S.Paulo,

23 Julho 2012 | 17h00

FORTALEZA - Bruno Vieira Emereciano, irmão do radialista e humorista Rodrigo Vieira Emerenciano(Mução) foi preso nesta segunda-feira, 23, em Fortaleza. Bruno confessou que se passou por Mução ao acessar seu login e senha na Internet e compartilhar fotos e material de pedofilia. A prisão de Bruno foi feita pela Polícia Federal (PF) após 23 dias dele ter confessado o crime. Mução, que chegou a ser preso no final do mês passado ficou dois dias na prisão e foi solto após a confissão do irmão.

Bruno, segundo a PF não foi preso quando confessou o crime, porque não houve flagrante. Mas agora com o andar das investigações há elementos suficientes para sua prisão. Tanto, que logo após ele ser detido em Fortaleza, foi transferido para a carceragem da PF em Recife(PE), onde corre o processo, que investiga a formação de rede internacional de pedofilia.

A investigação da PF aponta que partia dos computadores do escritório de Mução em Fortaleza as imagens com conteúdo de pedofilia e que este material era distribuído por Bruno. Por isso a PF pediu a prisão do irmão de Bruno no que foi atendida pela Justiça Federal, através da 13ª Vara em Pernambuco.

A prisão de Bruno, porém é em caráter temporário, para garantir a continuidade das investigações. Segundo a PF, o processo de apuração está em fase conclusiva. Tudo começou com a Operação Dirty Net, que resultou no final do mês passado na prisão de 32 pessoas em nove estados (São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia, Maranhão e Ceará). Mas a PF pediu a ajuda da Interpol para a investigação de 97 estrangeiros que estariam envolvidos na rede de pedofilia, que atuava no Brasil e países da Europa, Ásia e Oceania.

Mais conteúdo sobre:
humorista radialista muçao

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.