Irmão do traficante Dudu vai participar do exame de DNA

Um dos irmãos do traficante Eduíno Eustáquio de Araújo, o Dudu, apresentou-se ontem para fornecer material biológico para o exame de DNA que confirmará se o corpo carbonizado encontrado sábado é o do criminoso. O resultado do exame, realizado por um laboratório particular, ficará pronto até sexta-feira."A família nunca quer acreditar que o corpo é do seu parente, mas eles aceitaram colaborar", disse o diretor da Polícia Técnica, Roger Ancillotti. "O que eu posso adiantar é que toda a Polícia Civil continua em busca desse traficante e essa procura só vai parar se o resultado confirmar que ele está morto".O irmão do traficante, cujo nome não foi divulgado, apresentou-se às 11 horas para a coleta de material. Ancillotti disse que o fato de eles serem filhos dos mesmos pais favorecerá o exame. "Nos filhos do sexo masculino, o cromossomo Y, que recebem do pai, é similar. O exame vai comparar o cromossomo Y do irmão do Eduíno e o cromossomo Y do cadáver carbonizado. Esse resultado sai em 72 horas", disse o diretor.De acordo com Ancillotti, o rapaz teria afirmado que sua mãe também está disposta a ceder material para exame. Ela está viajando e chega ao Rio sexta-feira. "Se esse teste der negativo, o material da mãe será coletado para confirmação. Mas se der positivo, não será necessário".Dudu é acusado de liderar um ataque à Rocinha, em abril desse ano, acompanhado de traficantes do Morro do Vidigal. Treze pessoas morreram nos conflitos. A polícia tem procurado Dudu em diversas favelas. Na semana passada, foi divulgado que o criminoso teria sido ferido num confronto com a polícia no Complexo do Alemão, na zona norte. No sábado, um corpo carbonizado foi abandonado na Rua Itapiru, no Rio Comprido, e o secretário de Segurança Pública, Anthony Garotinho, anunciou em seu programa semanal de rádio que o morto poderia ser Dudu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.