Irmãos, policiais são presos por causa de chacina

A Justiça decretou a prisão temporária por 30 dias de dois soldados da Polícia Militar suspeitos de participar da chacina de oito pessoas, no dia 15, em Ribeirão Pires, ABC. Eles são irmãos e foram transferidos anteontem para o Presídio Militar Romão Gomes, zona norte da capital. Outros dois soldados investigados por suposto envolvimento no crime estão recolhidos administrativamente na Corregedoria da PM. Um dos irmãos é lotado no 30.º Batalhão, em Ribeirão Pires, e outro no 18.º Batalhão, na Freguesia do Ó, zona norte. Segundo o major Mauro José Fernandes Tavares, da corregedoria, a testemunha que havia identificado os soldados por fotografia, na quinta-feira, reconheceu os dois pessoalmente no dia seguinte, mas com dúvidas. Os irmãos alegam inocência. Além da chacina, a corregedoria apura a atuação de um grupo de extermínio na PM de Osasco. Um policial foi preso e 19 estão sob investigação - eles continuam trabalhando. "É preciso aguardar outras provas", afirmou Tavares.

Josmar Jozino e Marcelo Godoy, O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2024 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.